PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem


O funeral do empresário do ramo automóvel que foi assassinado num tiroteio junto ao Hospital de Santarém realiza-se na sexta-feira, 1 de Junho, às 11 horas, para o cemitério de Pernes, vila de onde nasceu, apesar de residir há muitos anos no Cartaxo.

Joaquim Manuel Gomes do Reis, de 54 anos, morreu à porta da esquadra da PSP de Santarém na terça-feira à noite, para onde fugiu depois de sido baleado num tiroteio que ocorreu no parque de estacionamento exterior do Hospital, junto ao quiosque dos jornais.

Ao tentar escapar aos tiros, o carro onde seguia atropelou um outro indivíduo envolvido na rixa, que está internado no Hospital de Santa Maria, sob vigilância policial apertada.

“Foi um autêntico filme de acção americano”, disse à Rede Regional uma testemunha que estava a 30 metros do local. Joaquim Reis e um empregado envolveram-se numa discussão com um grupo de indivíduos por motivos que estão a ser investigados pela Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa.

Segundo conseguimos apurar, a contenda terá começado por causa de um negócio de carros, pois a vítima mortal era proprietária de dois stands de veículos usados, um no Cartaxo e outro na Póvoa da Isenta.

Quando Joaquim Reis e o empregado se preparavam para ir embora, já com os ânimos bastante exaltados, foram disparados pelos menos sete tiros na direcção do carro. Quando acelerou, o empregado atropelou um indivíduo de 37 anos, que ficou “logo ali estendido no chão”, acrescentou a mesma testemunha.

A directora clínica do Hospital de Santarém, Maria Lopes, disse à Rede Regional que o homem sofreu lesões graves ao nível do crânio e do tórax, e que foi evacuado para Lisboa por volta da uma hora da madrugada.

O empregado conseguiu ainda conduzir o carro até à esquadra da PSP de Santarém, onde entrou em pânico a pedir socorro para Joaquim Reis, que acabou por não resistir aos ferimentos provocados pelos tiros que o atingiram.

O caso está a ser investigado pela PJ, que está a tentar identificar o autor ou os autores dos disparos, e se o indivíduo que foi atropelado tinha ou não uma arma de fogo. Segundo a morada que os familiares forneceram às autoridades, o homem atropelado reside na vila alentejana do Crato, distrito de Portalegre.

Mais informação em:

Um morto e um ferido grave em tiroteio no Hospital

 


O sócio-gerente de um stand de automóveis no Cartaxo morreu esta madrugada após ter sido baleado numa zaragata junto ao quiosque de jornais em frente ao Hospital de Santarém, na terça-feira, 29 de Maio, pelas 21h30.

A Polícia Judiciária (PJ), que esteve no local, está a investigar as circunstâncias em que a vítima foi atingida, bem como a tentar identificar o autor dos disparos.

Da contenda, resultou ainda um outro ferido em estado grave, que foi atropelado pelo carro em que seguia a vítima mortal, no momento em que o condutor acelerou a fundo para tentar escapar aos tiros.

Este indivíduo, foi assistido de imediato por uma equipa do INEM e levado para as urgências do hospital, onde permanece internado e sob vigilância policial.

Segundo conseguimos apurar, o indivíduo que morreu seguia à pendura numa viatura conduzida por um amigo, que fugiu do local e foi de imediato para a esquadra da PSP de Santarém. Foi já à porta da polícia que foi chamada uma ambulância para socorrer o homem, que acabou por não resistir aos ferimentos.

“Parecia um filme de acção americano”, relatou à Rede Regional uma testemunha que estava a cerca de 30 metros do local, a conversar no passeio da Avenida Bernardo Santareno. “Eu ouvi alguém falar alto e apercebi-me que estava um grupo de pessoas a discutir ao pé do quiosque, mas não liguei. De repente, ouvi uma série de tiros, o barulho de vidros a partirem-se e um carro a arrancar a alta velocidade”, conta.

“Depois do susto, olhei novamente e vi que estava alguém estendido no chão, com muita gente à volta dele, mas nem sequer me aproximei”, relata a mesma testemunha, acrescentando que, passados poucos minutos, chegaram logo os meios que socorreram o homem.

A PSP montou um enorme dispositivo de segurança na zona do hospital.

Mais informação em:

Empresário assassinado vai a enterrar em Pernes

O Banco Alimentar Contra a Fome de Santarém recolheu 69.073 quilos de alimentos durante a campanha de recolha que decorreu no último fim de semana em alguns super e hipermercados da região.

O valor atingido representa um aumento de cinco toneladas em comparação com a mesma campanha de 2011, um dado que comprova a solidariedade dos portugueses aumenta é grande – e até aumenta – em tempo de crise.

A nível nacional, o Banco Alimentar Contra a Fome recolheu 2.644 toneladas de alimentos em todo o país, mais 13,7 por cento de alimentos do que em 2011.

Ao todo participaram na campanha cerca de 37 mil voluntários espalhados por 1655 superfícies comerciais de norte a sul. Os alimentos irão agora ser distribuídos por 2116 instituições de solidariedade ajudando cerca de 337 mil pessoas com carências alimentares comprovadas.

Até 3 de Junho, pode ainda contribuir através do site www.alimentestaideia.net, ou na compra de "Ajuda Vale" de produtos seleccionados como azeite leite, salsichas, atum ou esparguete. Os vales podem ser adquiridos nos hipermercados.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 554 visitantes e 0 membros em linha