PUB

chamusca covid

PUB

cms fiqueemcasa


O ano lectivo 2012 / 2013 vai arrancar com menos 23 estabelecimentos de ensino no distrito que no ano transacto, segundo a listagem divulgada na terça-feira, 24 de Julho, pelo Ministério da Educação, onde constam as escolas do 1º ciclo do ensino básico que vão ser encerradas em nome da reorganização da rede escolar.

Com quatro escolas cada um, os concelhos de Abrantes (Jardim-de-Infância de Martinchel, EB Raúl Figueiredo, EB Brunheirinho e EB Vale de Mós) e Rio Maior (EB’s de Arrouquelas, Azambujeira, Marmeleira e Ribeira de São João) são os mais afectados dos concelhos ribatejanos.

Em Mação, fecham as portas as escolas de Envendos, Ortiga e Penhascoso, seguindo-se mais três concelhos com dois estabelecimentos encerrados: Alcanena (Filhós e Louriceira), Tomar (Asseiceira e Charneca de Peralva) e Torres Novas (Alcorochel e Casais Castelos).

Encerram ainda as escolas do Casalinho (concelho de Alpiarça), Foros de Almada (Benavente), Azerveira (Coruche), Alqueidão (Ourém), Vaqueiros (Santarém) e Várzea Fresca (Salvaterra de Magos).

Através de um comunicado, o ministério de Nuno Crato explica que o fecho das escolas resulta de um processo conduzido “em articulação com as respectivas autarquias, atendendo à melhoria da qualidade do ensino". Os alunos têm como destino os novos centros escolares ou outros estabelecimentos "com infra-estruturas e recursos que permitem melhores condições para o seu sucesso escolar", considera ainda a tutela no mesmo documento, que esclarece que o processo de encerramento de escolas com menos de 21 alunos deverá continuar em 2013.

Entre os anos lectivos de 2005 / 2006 e 2012 / 2013, foram encerrados 3.720 estabelecimentos de ensino em todo o território português, mantendo-se em funcionamento 2.330 escolas do ensino básico (até ao quarto ano de escolaridade).


A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois alegados empresários e apreendeu 912 comprimidos de ecstasy e seis quilos de MDMA (substância em pó que serve para o fabrico dos comprimidos de ecstasy) que estavam escondidos em duas empresas de fachada no Porto Alto, concelho de Benavente.

Os suspeitos, de 39 e 49 anos, conseguiram trazer a droga directamente da Holanda e guardavam-na numa pequena empresa do ramo têxtil e num stand de automóveis, ambos situados no Porto Alto. Os arguidos já foram ouvidos em primeiro interrogatório judicial num Tribunal de Lisboa e vão aguardar julgamento em prisão domiciliária, acusados do crime de tráfico de estupefacientes, que tem uma moldura penal abstracta que varia entre os cinco e os 15 anos de prisão.

Com esta operação, que culminou uma investigação de cerca de três meses, a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE) acredita ter desmantelado parte de uma rede internacional que importava drogas sintéticas da Holanda. O grupo tinha a capacidade e os contactos para introduzir e comercializar o ecstasy no mercado nacional, nomeadamente em discotecas da zona de Lisboa, do Algarve e nos festivais musicais de Verão.

“Tendo em conta os parâmetros médios detectados em amostras provenientes de anteriores apreensões, a quantidade apreendida teria potencial adequado para a manufacturação de, pelo menos, 60 mil comprimidos de ecstasy”, salienta ainda a PJ através de um comunicado de imprensa.


Dar uma resposta imediata às necessidades das famílias mais carenciadas, a idosos com fracos recursos económicos ou a crianças e jovens em situação de emergência é o objectivo da nova loja solidária de Mação, que está em funcionamento desde a semana passada nas instalações da antiga escola secundária da vila do Norte do Ribatejo.

O espaço dispõe de utensílios domésticos, calçado, vestuário e acessórios para todas as idades, brinquedos e material didáctico, livros, mobiliário e produtos alimentares obtidos no peditório do Banco Alimentar em Mação, assim como dispõe de um banco de ajudas técnicas que empresta cadeiras de rodas, andarilhos ou equipamento específico para fisioterapia, entre outros.

Sendo uma estrutura de apoio e acompanhamento de proximidade, a loja pretende ainda sensibilizar a comunidade local para a recolha de bens materiais, conforme salientou o presidente da autarquia, Saldanha Rocha, durante a inauguração do equipamento, que contou com a presença do director da Segurança Social de Santarém, Tiago Leite.

"Não queremos que este seja um espaço só da Câmara Municipal, mas sim um espaço de todos e em que todos possam contribuir e dar resposta aos problemas sociais do concelho, ajudando a atenuá-los”, frisou o autarca, chamando a atenção para o trabalho que esta nova resposta social pretende desenvolver juntos das Instituições Particulares de Segurança Social (IPSS’s), da sociedade civil e do tecido económico.

A loja solidária será dinamizada por voluntários e está aberta à quarta-feira, entre as 10 e as 12h30. A recolha de material será efectuada pelo serviço de acção social da Câmara, cujo gabinete se situa no mesmo edifício.

A entrega de bens pode também ser feita no posto de turismo de Mação.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 1135 visitantes e 0 membros em linha