PUB

chamuca pedro dyonysyo

PUB

cortes

PUB

Cerca de 70 elementos em representação de algumas dezenas de escolas dos distritos de Santarém, Leiria e Coimbra, participaram esta quinta-feira, dia 10 de Novembro, no Auditório da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, numa reunião regional do Programa Eco-Escolas.

O encontro incluiu novidades e informações sobre o programa em 2011/2012, prestadas pela Coordenadora Nacional, Margarida Gomes, bem como a apresentação de duas boas práticas Eco-Escolas, no caso, da EB1 de Santiago de Litém, de Pombal, e da EB2,3/S Artur Gonçalves, de Torres Novas. 

O Eco-Escolas é um Programa Internacional que pretende encorajar acções e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental. Fornece fundamentalmente metodologia, formação, materiais pedagógicos, apoio e enquadramento ao trabalho desenvolvido pela escola.

A Polícia Judiciária apanhou em flagrante delito três homens responsáveis pelo rapto de um trabalhador de uma empresa de Lisboa para exigir ao patrão o pagamento de uma dívida em atraso, coberta por juros agiotas.

Fonte da Unidade Nacional de Contra-Terrorismo (UNCT), departamento que deteve os três suspeitos na quarta-feira, dia 9, na A1 (autoestrada do Norte), junto das bombas de gasolina de Santarém, adiantou à agência Lusa que o proprietário da empresa pediu dinheiro a terceiros, que lhe exigiam juros elevadíssimos, e ainda não tinha pago as quantias acordadas.

Não conseguindo receber a “avultada soma” de dinheiro da parte do empresário, que fugiu de Lisboa, os agiotas decidiram raptar um empregado de confiança da empresa para exigirem um resgate, ou ao proprietário ou à família deste ou a amigos e familiares do trabalhador.

Segundo a mesma fonte, os raptores, com idades de 34, 46 e 47 anos, não tendo conseguido o dinheiro em Lisboa, decidiram levar a vítima até à zona centro do país para exigirem a familiares do empresário o pagamento da dívida.

Contudo, a deslocação foi em vão uma vez que os familiares não se encontravam em casa, tendo os raptores, que mantiveram a vítima sequestrada durante cerca de nove horas, regressado a Lisboa e sido detidos próximo de Santarém pelos investigadores da UNCT, que tinham sido alertados do rapto pela mulher da vítima.

Em declarações à agência Lusa, o advogado dos três arguidos, Fernando Arrobas da Silva, disse que os seus constituintes alegam que o dono de uma oficina lhes “deve dezenas de milhares de euros a cada um”.

Na versão do advogado, os detidos, de etnia cigana, tendo conhecimento de que o devedor estaria desaparecido, foram ter terça-feira com um seu funcionário, “convencendo-o a ir com eles mostrar-lhes onde fica a casa do pai do devedor, algures em Vila do Rei ou Sertã”.

Segundo o causídico, os suspeitos alegam que o funcionário “não foi raptado” e que os “acompanhou de livre vontade”, tendo sido o próprio a abastecer a viatura numa área de serviço e a “pedir informações a um GNR sobre a suposta localização da casa do pai do homem que procuravam”.

Arrobas da Silva disse ainda que o proprietário da oficina teria “um esquema tipo D. Branca e deve dinheiro a várias pessoas”, tendo o arguido mais novo falado de uma dívida de 28.000 euros.

Os três detidos foram ouvidos por um juiz de instrução criminal do Tribunal de Santarém, que lhes aplicou a medida de prisão preventiva.

A derrocada de um prédio devoluto na Estrada Nacional 365, em Alcanhões, concelho de Santarém, provocou a morte de um homem de 56 anos. O acidente aconteceu esta quarta-feira, 9 de novembro, por volta das 22h00, e vitimou Jaime Cunha, de 56 anos, residente na localidade.

Ao que foi possível apurar, Jaime Cunha, que tinha ido tomar café e se dirigia para casa, parou no cruzamento para ceder passagem a outra viatura quando parte do edifício se desmoronou.

Segundo o vereador com o pelouro da Proteção Civil na Câmara Municipal de Santarém, António Valente, a fachada do prédio caiu sobre a viatura da vítima quando esta ia a passar na rua, tendo-lhe provocado a morte, apesar dos esforços dos elementos das três viaturas dos Bombeiros Municipais e duas dos Voluntários de Santarém, que acorreram ao local, assim como da Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital de Santarém.

A derrocada do edifício, onde funcionava uma cooperativa, não provocou surpresa na população que há muito temia pela segurança no local.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Quem está Online?

Temos 443 visitantes e 0 membros em linha