Os três cidadãos romenos que estão a ser julgados pelo assalto ao café Bento, em Paço dos Negros, Fazendas de Almeirim, confessaram o crime perante o tribunal de Almeirim e mostraram arrependimento, na quarta-feira, 11 de Janeiro.

Os arguidos, um de 34 anos e os outros dois de 24, enfrentam uma acusação de furto qualificado por, a 25 de Maio de 2011, terem arrombado o estabelecimento e roubado um monitor LCD, tabaco e quase 400 euros em dinheiro, que a GNR conseguiu recuperar.

Nesta primeira sessão do julgamento, além de terem confessado integralmente os factos constantes na acusação do Ministério Público (MP), os três homens frisaram que pagaram entretanto os danos causados ao proprietário, cerca de 200 euros.

Perante a confissão, o Procurador do MP dispensou todas as testemunhas de acusação e foi ouvido apenas o patrão de dois dos arguidos, um empresário agrícola de Almeirim. Segundo disse ao tribunal, tem uma excelente opinião dos homens que trabalharam para si em várias campanhas agrícolas desde 2005, e confiava neles a ponto de lhes dar as chaves do seu barracão, “de onde nunca desapareceu nada”.

“Eu nem queria acreditar, quando me disseram que eles tinham feito uma asneira destas”, frisou.

Os arguidos estão em prisão preventiva desde a data da sua captura porque a juíza de instrução criminal considerou que existia o risco de fuga e a continuação da actividade criminosa. Na altura, eram suspeitos de uma vaga de furtos e roubos ocorridos dias antes em Almeirim e na Chamusca, sendo um deles também suspeito em vários inquéritos policiais no Algarve.

A leitura do acórdão ficou marcada para o próximo dia 25 de Janeiro.