PUB

chamusca natal

PUB

cimt slideshow

PUB

reino natal

PUB

elgalego 2019

Um técnico de informática chamou a si duas meninas de 10 e 12 anos e, sem sair do carro, masturbou-se enquanto lhes perguntava a localização do quartel dos bombeiros de Benavente. O homem, de 30 anos e com cadastro por crimes da mesma natureza, está acusado pelo Ministério Público (MP) de dois crimes de abuso sexual de criança e vai começar a ser julgado na quinta-feira, 5 de Janeiro, em Benavente.

Segundo a acusação do MP, a que a Rede Regional teve acesso, os factos ocorreram a 7 de Janeiro de 2010, quando o arguido, funcionário de uma multinacional com escritórios em Carnaxide, se deslocou a Benavente em trabalho. O homem estacionou o carro da firma numa rua e esperou que se aproximasse a primeira vítima, de 12 anos, que ia a pé da escola para casa. Com a desculpa de não saber onde ficavam os bombeiros, pediu à menor que se aproximasse dele, já com a janela da viatura aberta. Ao reparar que o arguido agarrava o pénis erecto com uma mão, a criança fugiu de imediato.

De seguida, o exibicionista arrancou com o carro na direcção da segunda vítima, de 10 anos, que ia com outros miúdos a caminho de casa. Usando a mesma desculpa, parou o carro e tentou conversar com a menina, enquanto se masturbava no interior da viatura.

O arguido neste processo já foi condenado pelo Tribunal da Mealhada a sete anos de prisão, reduzidos para quatro em cúmulo jurídico, por sete crimes de abuso sexual de criança. Os factos remontam a 13 de Dezembro de 2008, dia em que o arguido parou o seu carro de serviço junto à Escola Básica 2,3 da Mealhada. Chamou a si sete alunas menores, com 11 e 12 anos, e masturbou-se enquanto olhava para elas, junto ao gradeamento da escola.

Para garantir a suspensão da pena, o arguido teve que pagar 2.500 euros ao Instituto de Apoio à Criança e ficou proibido de se aproximar a menos de 100 metros de parques infantis, escolas ou jardins-de-infância onde se encontrem menores de 14 anos. O colectivo de juízes da Mealhada determinou que se procedesse à recolha de uma amostra do ADN do arguido, e a sua respectiva introdução na base de dados de perfis de ADN.



PUB

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

anuncio2020

PUB

cmcartaxo natal

PUB

PUB

politeama rainhadaneve

Quem está Online?

Temos 572 visitantes e 0 membros em linha