A assembleia de freguesia da Póvoa da Isenta, concelho de Santarém, aprovou uma moção em que contesta os valores cobrados pela empresa municipal Águas de Santarém para ligação ao sistema de saneamento atualmente em construção na freguesia.

A assembleia, que se reuniu a 30 de Setembro, juntou perto de uma centena de pessoas, mobilizadas por um grupo de cidadãos que redigiu um comunicado que põe em causa os valores praticados pela Águas de Santarém, comparativamente a sistemas de outros concelhos da região, acabou por ser aprovada a criação de um grupo de trabalho que irá fazer uma proposta a apresentar à empresa.

Depois de uma discussão acalorada, os presentes estabeleceram como valor “razoável” o pagamento de uma verba da ordem dos 250 euros, contra os 618 cobrados pela Águas de Santarém, mesmo assim sujeito a uma análise comparativa que o grupo que vai juntar eleitos e elementos da população vai agora fazer.

A dinamizadora do movimento de cidadãos, Helena Jorge, sublinhou que a população não está contra o saneamento básico, obra ansiada “há 30 anos”, considerando “inadmissível” que as pessoas tenham que pagar os valores exigidos para usufruírem de um direito fundamental.