PUB

festival cogumelo

PUB

carnaval santarem

NOTÍCIA ATUALIZADA ÀS 16H00

O Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Comando Territorial de Santarém da GNR deteve três homens, de 60, 41 e 47 anos, pela prática do crime de violência doméstica. As detenções foram feitas nos dias 11 e 12 de fevereiro, nos concelhos de Benavente, Rio Maior e Ferreira do Zêzere.

Slide thumbnail

Num dos casos, os militares apuraram que um suspeito de 60 anos, agrediu física e psicologicamente a sua esposa de 60 anos, durante cerca de 42 anos de relacionamento, chegando mesmo a ameaçá-la de morte com recurso a arma de fogo.

No decorrer de uma outra investigação pelo mesmo tipo de crime, foi possível apurar que um outro suspeito de 41 anos agrediu fisicamente a sua esposa e exercia, constantemente, violência psicológica sobre a mesma.

Relativamente ao terceiro suspeito, já relatado pela Rede Regional, o agressor, de 47 anos, exercia violência física e psicológica sobre duas vítimas vulneráreis, a mãe de 86 anos e a irmã de 59 anos, que apresenta um certo grau de deficiência.

Neste caso foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária por suspeita de armas na habitação, tendo sido apreendidas 4 caçadeiras, 1 carabina, 1 arma de ar comprimido, 250 chumbos, 57 cartuchos e 1 chicote.

Os detidos foram presentes nos dias 12 e 13 de fevereiro, ao Tribunal Judicial de Santarém, tendo sido aplicadas as medidas de coação de prisão preventiva a dois dos detidos, e proibição de aproximação da vítima, bem como da sua residência e do seu local de trabalho, ao detido de 41 anos.

 

NOTÍCIA ORIGINAL

Um homem, de 47 anos de idade, vai ficar em prisão preventiva depois de ter sido ouvido esta quinta-feira, 13 de fevereiro, no Tribunal de Santarém, por suspeita de violência doméstica.

Segundo a pProcuradoria da Comarca de Santarém, o suspeito, residente em Benavente, é acusado da prática de crimes de violência doméstica sobre a mãe, com 86 anos de idade e sobre uma irmã, com cerca de 60 anos de idade, esta padecendo de doenças graves.

O arguido, sem emprego e toxicodependente, já havia sido objeto de injunções aplicadas em processo crime por factos idênticos e de anterior acusação por crimes de extorsão.

De acordo com os factos apresentados no primeiro interrogatório judicial, além de estragos materiais em mobiliário e utensílios da habitação, o arguido insultava a própria mãe, como o fazia quanto à irmã, que também ameaçava de morte e agredia. Ocasionalmente adormecia enquanto fumava na cama, daí resultando ignições da roupa de cama, assim criando perigo para as pessoas e bens.

"Evidenciados os perigos para a aquisição, conservação e veracidade da prova, bem como o de continuação da atividade criminosa e de perturbação da ordem e tranquilidade públicas, tendo em conta que o arguido não tem emprego e que também se encontra desenraizado social e familiarmente, o Ministério Público promoveu a aplicação da medida de coação prisão preventiva, a qual foi decretada judicialmente", refere um comunicado da Procuradoria de Santarém.



PUB

PUB

PUB

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

barquinha savel lampreia 2020

PUB

Quem está Online?

Temos 719 visitantes e 0 membros em linha