O Tribunal da Relação de Évora mandou repetir o julgamento dos três suspeitos do homicídio de Nélson Ferreira, o camionista de Salvaterra de Magos que foi assassinado na área de serviço da A23 das Mouriscas, concelho de Abrantes. Apesar do principal arguido, Emanuel Candeias, ter sido condenado a 18 anos e nove meses de prisão no primeiro julgamento, no Tribunal de Abrantes, o Ministério Público (MP) recorreu da absolvição dos outros dois acusados, Ulisses e David, do crime de homicídio qualificado em co-autoria.

Os desembargadores de Évora não só mandaram repetir o julgamento da primeira instância, considerando existir elementos suficientes para que seja feita uma reapreciação de prova, como negaram provimento ao recurso apresentado pela defesa de Emanuel Candeias, tido como o autor da facada que matou o camionista. A vítima mortal, então com 37 anos, trabalhava para uma empresa de Arruda dos Vinhos e seguia com destino a França, quando parou para tomar café por volta das 4 horas da manhã, a 29 de Junho de 2010.

O camionista envolveu-se numa discussão com um grupo de três homens, ainda no interior da cafetaria, foi agredido com tremenda violência no exterior e acabou por ser assassinado com uma facada no coração junto às bombas de abastecimento, onde foi encontrado por uma funcionária.