PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem

A Búzios - Associação de Nadadores Salvadores de Coruche colocou desfibrilhadores automáticos externos (DAE) em todos os locais vigiados pelas suas equipas.

Este equipamento, segundo a Búzios, pode significar a diferença entre a vida e a morte quando é rapidamente utilizado no socorro às vítimas de afogamento ou de ataque cardíaco.

"Como 59% a 65% das vítimas estão em fibrilhação ventricular e sendo a desfibrilhação a única forma de reverter estas situações, a aplicação em 3 a 5 minutos após o colapso de um desfibrilhador produz percentagens de sobrevivência de 49% a 75%", explica uma nota de imprensa da associação, que acrescenta que, se o DAE chegar ao local após este período de tempo, as probabilidades de sobrevivência descem para os 5 a 10%.

Raramente os meios externos conseguem chegar aos locais de acidente dentro desta janela de tempo.

Os elementos da Búzios estão também a treinar mensalmente com um simulador real de DAE, um equipamento que permite "treinar vários casos reais e assim preparar melhor os nadadores salvadores para as possíveis reanimações", acrescenta ainda a mesma nota.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo e a CDU de Torres Novas estão preocupadas com a actual organização da prestação de cuidados de saúde no Concelho de Torres Novas, que tem implicado mais custos, mais sofrimento e ansiedade para as populações.

Num comunicado conjunto emitido após a reunião entre ambas as partes do dia 26 de Julho, sexta-feira, comissão e CDU lamenta ainda que factores financeiros prevaleçam sobre as necessidades de cuidados de saúde de proximidade e qualidade, como se a dignidade e a vida humanas tivessem preço.

As duas organizações defendem a articulação dos diversos níveis de cuidados de saúde (centros de saúde, hospitais, cuidados continuados) e a existência de urgência qualificada, internamento de medicina interna e pediatria, e ambulatório nas três unidades hospitalares do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT).

Sobre o futuro do Hospital de Torres Novas, ambas desafiam o Conselho de Administração do CHMT a divulgar o seu Plano Estratégico para os próximos três anos onde deverá estar definida a carteira de serviços assistenciais e em que unidades hospitalares. A população deve ser informada com transparência sobre a concretização do direito a cuidados de saúde.

A CUSMT e a CDU TORRES NOVAS decidiram, ainda, manter contactos regulares para análise da situação e eventuais iniciativas conjuntas.

O Bloco de Esquerda de Torres Novas está preocupado com o futuro do Hospital Rainha Santa Isabel, situado naquela cidade, e teme que o acesso aos cuidados de saúde dos cidadãos deste concelho, e de outros vizinhos, fique em causa com o que chamam de “crescente esvaziamento de valências e funções”.

Num comunicado enviado ao Rede Regional, a concelhia do BE de Torres Novas refere que “apesar de não se conhecerem ainda decisões do Governo, a verdade é que a informação disponível é demasiado escassa para nos deixar descansados”.

Prometendo estar “atento” e “tudo fazer” para evitar “aquilo que se adivinha e que passa, eventualmente, pela entrega aos interesses privados descurando os interesses das populações”, os bloquistas vão reunir na terça-feira, 30 de julho, pelas 18,30 horas, com a Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Médio Tejo para se inteirar do ponto de vista desta associação sobre o problema e eventualmente encontrar formas convergentes de enfrentar uma questão que interessa a todos.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 782 visitantes e 0 membros em linha