PUB

chamusca covid continua

PUB

banner cms juntos

hospital abrantes

O Ministério da Saúde assegurou não ter tomado qualquer decisão no sentido do encerramento da maternidade de Abrantes. A garantia é dada pela agência Lusa, que cita a resposta a uma pergunta levantada pelo deputado Duarte Marques, eleito pelo PSD no distrito de Santarém.

Citando a resposta do chefe de gabinete do ministro da Saúde ao deputado social-democrata, a Lusa refere que “não só não foi tomada qualquer decisão no sentido do encerramento da maternidade do hospital de Abrantes, que integra o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), assim como não se encontra em curso ou em preparação qualquer procedimento no sentido de um eventual encerramento”.

Esta foi pelo menos a segunda vez este ano que o ministério garantiu que a maternidade de Abrantes não vai encerrar. Como a Rede Regional avançou na altura, a 4 de julho, o ministro da Saúde garantiu isso mesmo durante uma reunião com os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Santarém, que apresentaram ao governante os problemas que preocupam os cidadãos do distrito em matéria de cuidados de saúde.

Em comunicado, a distrital do PSD explicou na altura que o ministro esclareceu que a possibilidade do encerramento da maternidade de Abrantes "jamais" esteve em cima da mesa, pelo que "ao contrário do que alguma oposição quis fazer passar na opinião pública", a valência vai manter-se.

Nas jornadas parlamentares do PSD e do CDS, que se realizaram quinta e sexta-feira na Assembleia da República, Duarte Marques, natural de Mação, defendeu também a criação de um regime especial para incentivar médicos reformados a regressar ao activo enquanto não houver número de médicos suficientes de saúde geral e familiar, nos territórios de baixa densidade.

Duarte Marques anunciou ainda que os deputados eleitos pelo distrito nas listas do PSD entregarão na próxima semana um Projecto de Resolução a defender um "Sistema de incentivos ao regresso ao ativo de médicos de medicina geral e familiar já reformados". 

O problema da falta de médicos de saúde geral e familiar no distrito tem sido uma das maiores preocupações da nova Comissão Política Distrital do PSD de Santarém, liderada pelo Deputado Nuno Serra, que fez dos cuidados de saúde uma das grandes preocupações do seu mandato de dois anos.

 

O Agrupamento de Centro de Saúde (ACES) da Lezíria vai organizar no dia 20 de novembro, quinta-feira, a partir das 9h00, no Auditório da Escola Superior de Saúde de Santarém, as sextas Jornadas da UCF Leziria, que este ano serão direccionadas para a vertente da saúde da mulher e da criança.

Os interessados deverão formalizar a sua inscrição até ao dia 10 de novembro para o email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

benaventereuniaocucb

Um concurso nacional para a colocação de 16 enfermeiros no Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Estuário do Tejo está por concluir há cerca de dois anos devido aos sucessivos recursos e reclamações dos profissionais que se consideram lesados com a classificação atribuída.

A revelação foi feita pelo próprio diretor executivo deste ACES, Carlos Agostinho, durante a reunião pública subordinada ao tema "a saúde no concelho de Benavente", uma iniciativa organizada pela Comissão de Utentes do Concelho de Benavente (CUCB) que decorreu no cineteatro da vila.

O encontro reuniu cerca de 120 utentes que se manifestaram apreensivos e descontentes em relação à prestação de cuidados de saúde no centro de saúde local e respetivo Serviço de Atendimento Permanente (SAP), e que, nas várias intervenções, deixaram relatos de episódios e casos que exigem uma maior atenção por parte do Ministério da Saúde.

Apesar da falta de soluções imediatas, várias intervenções elogiaram o facto de Carlos Agostinho ter acedido a estar presente no encontro, tendo sido esta a primeira vez que um responsável de um ACES aceitou reunir com os utentes, que não deixaram também de assinalar a má experiência com o ACES da Lezíria II.

Carlos Agostinho explicou que o SAP de Benavente, além do seu funcionamento para o atendimento de urgências, funciona das 8 às 20 horas como posto de atendimento para consultas de recurso para os cerca de 7.700 utentes sem médico de família das freguesias de Barrosa, Benavente e Santo Estêvão.

Esta é uma forma de se conseguir, segundo o responsável, que estes utentes paguem a taxa moderadora ao valor de uma consulta no centro de saúde, e não a taxa do SAP, que seria praticamente o dobro.

O presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho, informou os presentes que a autarquia está, em parceria com o ACES Estuário do Tejo, a tentar cativar os alunos internos que estão a fazer estágio na USF de Samora Correia para que concorram às vagas abertas e se fixem no concelho.

No final da reunião, a CUCB anunciou que a próxima iniciativa será uma caminhada em defesa do Serviço Nacional de Saúde, em data ainda a agendar.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

PUB

promo almeirim

Quem está Online?

Temos 711 visitantes e 0 membros em linha