PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem

O espaço circundante ao centro de saúde de Ourém foi alvo de uma intervenção que corrigiu várias deficiências no pavimento, passeios e estacionamento.

Nesta empreitada, que, segundo uma nota de imprensa da autarquia, visou "proporcionar melhores condições de acesso e segurança a todos os utentes", foi pavimentada a via interna que circunda o edifício, foi refeita uma parte do estacionamento em calçada grossa e foram ainda criados e melhorados os acessos destinados a pessoas com mobilidade reduzida, com a introdução de rampas e de uma passadeira elevada.

"Estas obras facilitam o acesso e proporcionam mais segurança aos utentes que se dirijam ao centro de saúde, bem como, no transporte de vítimas de acidente ou doença súbita pelos serviços de emergência médica", adianta ainda a nota da Câmara de Ourém, que pagou a intervenção, apesar das instalações estarem sob a tutela direta do Estado.

A Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) Bento XVI, em Fátima, foi inaugurada no passado sábado, 7 de dezembro, pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo, que veio ao distrito descerrar a bandeira daquela que é a primeira valência do país dirigida a pessoas com demência.

Situada ao lado do Centro João Paulo II, e propriedade da União das Misericórdias Portuguesas, a UCCI tem 60 camas, 50 das quais comparticipadas pelo ministério da Saúde, para internamentos de média e longa duração.

A unidade, que, segundo uma nota de imprensa da Câmara de Ourém, "está preparada para se tornar num equipamento de referência a nível nacional na área do tratamento e reabilitação de pessoas com problemas de saúde mental", foi um investimento de 4 milhões de euros.

Na inauguração, o ministro da Saúde referiu que o governo, nos últimos dois anos e meio, criou cerca de 1.500 camas de cuidados continuados, que representam, anualmente, um encargo financeiro de mais de 40 milhões de euros.

Mesmo sublinhando que se tratou de um dia de festa para o município, o presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca, aproveitou a ocasião para reivindicar ao ministro o acesso da população do concelho ao Hospital de Leiria, que fica mais perto que o Hospital de Abrantes, a atual unidade de referência.

Paulo Fonseca, que recebeu também a medalha de mérito e dedicação da União das Misericórdias Portuguesas, apelou ao diálogo entre todos os intervenientes, afirmando ter "esperança" que se consiga encontrar "o caminho adequado na resposta aos cidadãos".

Manuel Caldas de Almeida, o diretor clínico do Centro Bento XVI, frisou que esta unidade de saúde vai seguir uma estratégia não assente em recurso a medicamentos mas no controle e tratamento de comportamentos como a agressividade ou agitação, associados à demência.

"Não é com fármacos mas com competência", disse o médico, frisando que um ambiente adaptado e a formação dos profissionais de saúde para lidarem com os doentes "podem evitar 90% das manifestações secundárias" das pessoas com demência.

A Câmara Municipal de Abrantes deliberou adjudicar a empreitada de construção da nova Unidade de Saúde Familiar (USF) Abrantes ao concorrente CIP – Construção S.A., por um valor que ronda o milhão de euros, acrescidos de IVA, seguindo a proposta do relatório final do júri do concurso público.

O edifício da antiga rodoviária foi o local escolhido para esta USF, e irá sofrer obras de adaptação para que possa servir um universo de cerca de 10 mil utentes.

"As atuais instalações da unidade de saúde de Abrantes, a funcionar no edifício do Hospital Manuel Constâncio, não reúnem condições para acolhimento humanizado e atendimento compatível com os modernos padrões do Serviço Nacional de Saúde", explica uma nota de imprensa da Câmara de Abrantes, que acrescenta que a empreitada tem um prazo de execução de 365 dias e será financiada no âmbito do QREN, assumindo a autarquia a componente nacional.

"A realização desta obra foi alvo de um protocolo de entendimento celebrado com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e o Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo (ACES), sendo que a união de esforços entre as três entidades visa atenuar e encontrar uma alternativa à problemática da falta de médicos de família na região", adianta ainda a mesma nota.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 788 visitantes e 0 membros em linha