PUB

chamusca ilha

PUB

reino natal

A administração do Hospital Distrital de Santarém reconheceu esta terça-feira, 29 de maio, que os vinte médicos especialistas em medicina Interna são insuficientes para responder às exigências dos serviços de assistência.

A informação foi avançada ao deputado António Filipe (PCP), eleito pelo distrito de Santarém, que esta manhã visitou o hospital, na sequência da carta aberta subscrita pelos onze médicos internistas de Medicina Interna.

Pelo contrário, a administração desmentiu categoricamente os boatos sobre o encerramento da maternidade, garantindo que não conhece qualquer dado que leve a essa situação, apesar de verificar uma redução de partos – em 2011 realizaram-se 1350 quando há quatros anos atrás foram à volta de 1700.

Recorde-se que em Abril António Filipe apresentou na Assembleia da República uma pergunta ao governo sobre que medidas vão ser tomadas para garantir o reforço indispensável do número de médicos especialistas de Medicina Interna do Hospital de Santarém, questão à qual ainda não obteve resposta.

O presidente da Câmara de Alpiarça está solidário com as reivindicações da população por melhores condições no acesso à saúde naquele concelho. Mário Pereira recebeu recentemente os representantes da Comissão de Utentes de Saúde de Alpiarça, tendo garantido o apoio autarquia em questões como o abaixo-assinado promovido pela Comissão junto da população do Frade de Baixo – já entregue aos serviços competentes do Ministério da Saúde – que reivindicando a reabertura da sua extensão de saúde (encerrada pelo Ministério desde 1999 – há 13 anos) um dia por semana.

O autarca aproveitou para dar conta das reuniões que a autarquia tem realizado com o Agrupamento de Saúde (ACES Lezíria), com a ARS-LVT e com a Secretaria de Estado, nas quais, para além dos aspetos relacionados com o reforço do centro de saúde de Alpiarça e da presença dos médicos cubanos, tem sido também abordada a situação das extensões de saúde.


A população da freguesia de Alvega, concelho de Abrantes, está desde a semana passada impedida de consumir água da rede pública devido ao elevado teor de alumínio detectado nas análises efectuadas.

Por um período de tempo ainda indeterminado, a Câmara Municipal de Abrantes alertou a população para que não consuma água até os níveis estarem normalizados.

O abastecimento à população está a ser garantido com recurso aos bombeiros municipais.

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara, confirmou à Rede Regional este problema e revelou que, quando existem estas variações bruscas de temperatura, podem ocorrer estas oscilações devido à pequena profundidade dos furos de captação. Nesta altura não há, ainda, segundo a autarca, qualquer previsão de quando é que o problema poderá estar resolvido.

Céu Albuquerque garante, no entanto, que o município tem já em curso uma intervenção para transportar água da freguesia de Mouriscas, cuja captação é feita numa barragem, para Alvega. Deverá ser uma intervenção concluída dentro de um mês e que, em situações futuras, vai permitir mudar o abastecimento sem necessidade de recurso aos bombeiros.

André Teodoro, do comando dos Bombeiros Municipais de Abrantes, confirmou que um veículo tanque da corporação, com capacidade de 15 mil litros, está a abastecer a freguesia entre as 7h30 e as 19 horas, ininterruptamente, com água da rede pública de Abrantes para a freguesia de Alvega.

Mais artigos...

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

politeama rainhadaneve

PUB

Quem está Online?

Temos 598 visitantes e 0 membros em linha