PUB

chamusca paulo betti

PUB

cms generico

O deputado do PCP, António Filipe, quer saber que diligências estão a ser equacionadas pelo Ministério da Saúde para permitir a colocação de mais dois médicos na USF da Chamusca e para garantir a prestação das horas médicas extraordinárias disponibilizadas para o Centro de Saúde da Chamusca.

Num requerimento enviado á presidente da Assembleia da República, para que esta o reencaminhe ao Ministério da Saúde, o deputado eleito pelo círculo de Santarém questiona ainda que diligências estão a ser equacionadas com vista a dotar a equipa de Cuidados Continuados Integrados do Centro de Saúde da Chamusca com os profissionais em falta (fisioterapeuta, psicólogo e nutricionista) e com uma viatura própria para as suas deslocações na comunidade.

A terceira e última pergunta é se o Ministério da Saúde está a equacionar, com o Ministério da Agricultura, a utilização do edifício da Zona Agrária, na Chamusca, para dotar o Centro de Saúde com instalações condignas.


A urgência médico-cirúrgica do Centro Hospitalar Medio Tejo (CHMT), que está instalada em Abrantes, tem funcionado nos últimos dias com "dificuldades e problemas", segundo uma denuncia da Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT), divulgada após várias queixas de utentes, familiares e profissionais de vários serviços do hospital.

"Alguns utentes, devido à escassez de meios, não têm sido tratados com dignidade e qualidade", salienta a CUSMT em comunicado, onde se passam "situações que preocupam os profissionais e aumentam o sofrimento dos utentes e familiares".

A comissão atribui responsabilidades à reorganização em curso no CHMT, " de que tem resultado a prestação de menos cuidados de saúde, que estão mais caros, mais longe e, em alguns casos, de pior qualidade".

Um dos exemplos negativos foi a decisão de concentrar as urgências, uma vez que os factos "provam que as populações das zonas de Tomar e Torres Novas ficaram com um serviço de urgência mutilado, enquanto que Abrantes (ou qualquer das unidades) não tem condições para abarcar todas as necessidades de cuidados de saúde urgentes", salienta a mesma nota.

"No CHMT, atendendo a que não é conhecido o Plano de Atividade e Orçamento para 2013, volta-se a temer que seja apresentada mais uma fase da «reorganização», de que resulte a concentração de mais serviços, com claros prejuízos para os utentes e trabalhadores como tem sucedido até agora", sublinha ainda o comunicado da CUSMT.

Os representantes dos utentes continuam a reclamar que os serviços de urgência, medicina interna, pediatria e cirurgia do ambulatório devem existir nas três unidades do centro hospitalar, propostas estas propostas que já foram subscritas por 26 mil utentes, em abaixo-assinado enviado ao Ministério da Saúde.


Cerca de metade da população do concelho de Ferreira do Zêzere está sem acesso a cuidados de saúde desde a saída de uma médica que prestava serviço no centro de saúde da vila, em finais de Julho.

Para uma população maioritariamente idosa de aproximadamente 10 mil residentes, existem de momento dois médicos a tempo inteiro e outro profissional a meio tempo, que trabalha 20 horas por semana em substituição da clínica que saiu há quase seis meses.

Esta situação foi levada ao Ministério da Saúde pelos deputados do PSD eleitos pelo círculo de Santarém, que, através de uma pergunta deixada na Assembleia da República, questionam que medidas está o governo a tomar no sentido de garantir a colocação de mais médicos no centro de saúde de Ferreira do Zêzere.

Nas freguesias rurais do concelho, já foram encerradas cerca de 50% das extensões de saúde, e o atendimento complementar passou a encerrar às 18 horas, assinalam ainda os deputados social-democratas, que perguntam ainda ao ministro da Saúde se tem conhecimento desta situação.

Mais artigos...

PUB

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

Quem está Online?

Temos 342 visitantes e 0 membros em linha