A estratégia da Câmara Municipal de Santarém para minorar os efeitos do número progressivo de animais abandonados passa por dar prioridade à captura e esterilização de gatos, sobretudo os que vivem abandonados na rua, mas também aos que estão no canil municipal e da Associação Scalabitana de Protecção Animal (ASPA).

Slide thumbnail

A revelação foi feita esta segunda-feira, 23 de setembro, pelo vereador Ricardo Rato (PSD), que em resposta a uma questão colocada pelo PS defendeu que "as esterilizações são primeira arma para combater o abandono".

O vereador responsável pelo pelouro do canil e gatil municipais reconhece que a questão não é fácil, desde logo na captura dos animais abandonados que muitas vezes fogem até de quem lhes dá comida.

Os técnicos da autarquia estão a trabalhar em conjunto com a Associação Scalabitana de Protecção Animal (ASPA) e outros grupos informais que cuidam de animais abandonados e Ricardo Rato revelou que apesar de cada esterilização custar 30 a 40 euros em material veterinário, não será por isso que o processo não avançará.

A criação de apoios às famílias carenciadas que têm animais de companhia é outro assunto que está em análise.

Esta segunda-feira, 23 de setembro, fez precisamente um ano que a lei que proíbe o abate de animais como medida de controlo da população entrou em vigor, uma medida que veio agravar os problemas de sobrelotação de muitos canis e gatis municipais.