PUB

chamusca ascensao

PUB

cms 150anos

PUB

Um médico e uma enfermeira do Hospital de Dia de Doenças Infeciosas do Hospital Distrital de Santarém estão a acompanhar 10 dos 50 detidos no Estabelecimento Prisional de Torres Novas.

Slide thumbnail

Os profissionais de saúde deslocam-se periodicamente àquela prisão para efetuarem consultas e rastreio de hepatites virais e VIH e fazerem colheitas de sangue para análises. Nestas avaliações, utilizam um equipamento portátil que, através da realização de fibroscan permite avaliar estadíos de doença mais avançados, nomeadamente o grau de fibrose do fígado dos reclusos.
As consultas acontecem na sequência da assinatura de um protocolo, em Julho de 2018, entre os Ministérios da Justiça e da Saúde que proporciona uma abordagem clínica que traz ganhos significativos quer para os reclusos quer para os profissionais de saúde, evitando-se a deslocação dos detidos ao hospital, com a consequente a poupança de recursos e evitando constrangimentos de vária ordem.
Os 10 doentes seguidos têm, na maioria, Hepatite Crónica C, tendo-se já iniciadas terapêuticas com fármacos inovadores para Hepatite C em 2 doentes, encontrando-se outro medicado para VIH.
O Hospital de Dia de Doenças Infeciosas do Hospital Distrital de Santarém, que segue presentemente cerca de 800 doentes com Infeção VIH e 400 com Hepatite C crónica, tem tido uma política de abertura à comunidade e saída das paredes do Hospital, com contactos e formações em escolas, comunidades terapêuticas, outras Instituições de saúde e agora nas prisões.



PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Quem está Online?

Temos 851 visitantes e 0 membros em linha