PUB

chamusca covid continua

PUB

banner cms juntos

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Santarém querem que o Governo “promova os procedimentos necessários e assegure o financiamento necessário à concretização do projeto de estabilização das encostas de Santarém, alertando para os riscos de "uma tragédia humana a curto prazo".

Defendendo que “a implementação das medidas propostas pelo projeto terão de ser assumidas pelo Governo e não pelo Município (que não tem capacidade financeira para assumir uma obra desta envergadura), os deputados social-democratas destacam o risco de derrocada para a linha de caminho-de-ferro do Norte, que, em seu entender, devia fazer o Governo encarar a construção de uma variante que desvie a circulação ferroviária desta zona como um investimento na “salvaguarda de vidas humanas e de amplitude e contexto nacional”.

“A alteração ao traçado da linha do norte, como solução para a estabilização das barreiras de Santarém, não pode ser comparada a qualquer outro investimento em infra-estruturas públicas, nem pode ser despriorizada em prol de qualquer auto-estrada, TGV ou Aeroporto. Aqui não se trata de modernizar Portugal, mas sim, de salvar vidas em Santarém”, pode ler-se no projeto de resolução enviado ao Governo, a que o Rede Regional teve acesso.

Esta tomada de posição dos deputados do PSD surge depois de uma visita, realizada há pouco mais de um mês (ver notícia relacionada), às barreiras de Santarém.

NOTÍCIA RELACIONADA:

Governo está-se nas tintas para as barreiras de Santarém

 

José Conde Rodrigues, ex-presidente da Câmara do Cartaxo e ex-secretário de estado da cultura e da justiça, é o cabeça de lista do PS à Assembleia Municipal do Cartaxo na lista liderada por Pedro Magalhães Ribeiro.

Numa altura em que a concelhia socialista está dividida, com duas listas potenciais em cima da mesa, uma liderada por Paulo Varanda, atual presidente da câmara, e outra por Pedro Ribeiro, este é um apoio de peso para o atual presidente da concelhia que deverá anunciar ainda hoje os nomes de Fernando Amorim (ex-presidente da junta de Pontével) e Pedro Nobre (antigo deputado municipal, de Vila Chã de Ourique), como elementos da lista que se vai candidatar à Câmara Municipal do Cartaxo.

As candidaturas de Paulo Varanda e Pedro Ribeiro já foram entregues e vão ser discutidas esta segunda-feira à noite, às 21h00, numa reunião da Comissão Política Concelhia, que se realiza na Biblioteca de Vila Chã de Ourique (ver notícia relacionada).

NOTÍCIA RELACIONADA

PS Cartaxo tem dois candidatos às eleições autárquicas  

 


O Ministério da Agricultura e do Ambiente assume não ter dinheiro para concluir a reconstrução da cascata do Mouchão de Pernes, no concelho de Santarém, uma obra que está parada desde Novembro de 2010.

A informação consta de uma resposta do próprio chefe de gabinete da ministra Assunção Cristas a uma pergunta entregue na Assembleia da República pelos deputados do PSD eleitos pelo distrito, onde Duarte Bué Alves explica que "por motivos orçamentais, não ouve ainda condições para lançar os procedimentos necessários para o início da obra".

A empreitada, que foi alvo de uma candidatura ao Fundo de Protecção dos Recursos Hídricos (FPRH), tem um custo estimado superior a 630 mil euros e inclui os trabalhos de reconstrução dos estragos provocados pelas cheias de Dezembro de 2009: "a muralha, a levada da margem direita, a jusante da cascata e a ponte pedonal, entretanto acrescentada ao projecto".

"Os novos trabalhos resultantes da queda da muralha e alteração da ponte pedonal serão objecto de nova contratação", esclarece ainda o Ministério que tutela a área do ambiente.

Recorde-se que o paredão central do Mouchão de Pernes ruiu a 28 de Dezembro de 2009, enquanto decorriam as obras de reconstrução da cascata.

Os trabalhos foram retomados a 11 de Abril de 2010, inseridos nas intervenções previstas no Protocolo para a Reabilitação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Alcanena, tendo sido novamente suspensos em Novembro desse ano.

Caso as verbas da candidatura ao FPRH venham a ser desbloqueadas, o ministério explica ainda que "em face das características hidrológicas e hidráulicas do Rio Alviela no local, o período apropriado para a execução da obra é de Maio a Outubro", com um prazo de duração de 4 meses.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

PUB

promo almeirim

Quem está Online?

Temos 763 visitantes e 0 membros em linha