O director do departamento de planeamento e gestão urbanística da Câmara Municipal de Santarém, que está a ser investigado pela Polícia Judiciária (PJ), pediu a sua demissão do cargo no início desta semana.

Segundo conseguimos apurar, foi António Duarte quem colocou o cargo à disposição do presidente Francisco Moita Flores, que aceitou a sua saída. Para já, a autarquia não vai designar novo substituto, disse à Rede Regional o vereador João Leite, acrescentando que “só haverá nova nomeação no início de 2012”.

O arquitecto, que chegou à autarquia scalabitana em 2007 como consultor para a área do urbanismo e assumiu a chefia do departamento em 2009 (após a saída de Dina Vieira para a vereação da Câmara de Lisboa), está a ser alvo de uma investigação por suspeitas de corrupção, abuso de poder e tráfico de influências. No passado dia 29 de Novembro, António Duarte foi detido pela PJ em sua casa, em Cascais, e cerca de 10 inspectores passaram a pente fino o seu gabinete na Câmara de Santarém, tendo recolhido informações e documento sobre vários processos de obras. O arquitecto só regressou à Câmara na segunda-feira, 5 de Dezembro, dia em que se reuniu com Moita Flores.

Apesar da investigação em curso sobre a actividade de António Duarte e não sobre a autarquia, a PJ esteve em Santarém para tentar apurar eventuais favorecimentos do arquitecto a empresários locais em processos de licenciamento que envolveram contrapartidas alegadamente ilícitas. A investigação incide também sobre a actividade profissional do arquitecto nas Câmaras de Cascais e Vila Franca de Xira, onde trabalhou antes de chegar a Santarém, e sobre o facto de ser dirigente de um centro social no norte do país.