PUB

app chamusca

PUB

insantarem

O presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande foi ouvido como testemunha num processo que decorre no Tribunal de Santarém, e saiu da sala de audiências como arguido, acusado pelo Ministério Público (MP) do crime de falsas declarações.

Slide thumbnail

Valdemar Alves, que foi assessor de Moita Flores quando este era presidente da Câmara de Santarém, é uma das testemunhas arroladas pelo MP no caso em que António Duarte, o ex-diretor do Departamento de Planeamento e Gestão Urbanística (DGPU) da autarquia, está a responder por três crimes de abuso de poder e um de recebimento indevido de vantagem.
Chamado ao Tribunal de Santarém no passado dia 25 de junho, o atual presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande prestou um depoimento que foi em sentido contrário das declarações que tinha feito quando foi ouvido durante a fase de inquérito deste processo-crime.
Durante a sessão, perante o depoimento que Valdemar Alves deixou no Tribunal de Santarém, o MP pediu que fossem lidas as declarações que a testemunha fez em sede de inquérito, requerimento que acabou por ser indeferido perante a oposição do advogado que defende António Duarte.
Na sequência, a Procuradora da República solicitou que fosse extraída certidão por falsas declarações de Valdemar Alves, tendo a juiz presidente do coletivo aceite o requerimento para instauração de procedimento criminal.



banner opticenter

 

PUB

PUB

PUB

banner RedeRegional Moonspell InSantarem

PUB

Quem está Online?

Temos 449 visitantes e 0 membros em linha