O Bloco de Esquerda do Cartaxo quer explicações sobre o que se passa com o novo Parque Central da cidade, inaugurado há cerca de seis meses e que continua como se estivesse em obra.

“Seis meses depois da inauguração do Parque Central por Cavaco Silva, o parque subterrâneo de estacionamento está fechado, os bares não abriram, os jardins estão por tratar, o monumento aos mortos continua amputado e os achados arqueológicos desaparecidos. Depois de centenas de árvores cortadas e de milhões de euros gastos e propagandeados até ao limite, veio um silêncio insuportável. Mas afinal o que se passa? Mas afinal não fomos nós cidadãos que pagámos a obra? Não merecem os Cidadãos do Cartaxo uma explicação?”, questionam os bloquistas num comunicado assinado pelos deputados municipais Pedro Mendonça e Odete Cosme.

No mesmo documento, os eleitos do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal do Cartaxo dizer ser hora do presidente da autarquia ter a coragem de vir a público explicar a quem pagou a obra, porque os equipamentos se encontram tal e qual como no dia anterior à inauguração presidencial, ou seja, fechados.

“Fica provado que Cavaco Silva veio ao Cartaxo reforçar a ideia de impunidade para políticos como Paulo Caldas, Isaltino Morais, Alberto João Jardim ou Dias Loureiro. No Cartaxo tudo continua na mesma e cada vez mais o Caldismo, agora liderado por Varanda se assume como o Jardinismo ribatejano. Depois do referendo em Dezembro último em que a população decidiu que seria a Câmara a gerir o estacionamento, nada se fez e nada se propôs ao fim de quatro meses. Não existe a coragem de explicar a razão?”, questionam os deputados municipais do Bloco de Esquerda.

O Rede Regional tentou obter esclarecimentos junto da autarquia mas tal não foi possivel até ao momento.