chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Sociedade

incendio calcada monte

Um incêndio ocorrido na madrugada desta quinta-feira, 14 de fevereiro, num prédio de três andares na rua Alexandre Herculano (Calçada do Monte), em Santarém, provocou 21 desalojados e avultados danos materiais na habitação, não se tendo registado no entanto qualquer ferido.

O alerta foi dado às 00h58, no segundo andar do número 91 da rua Alexandre Herculano, e a pronta intervenção dos Bombeiros Municiais de Santarém, cujo quartel fica a cerca de 100 metros, evitou que as chamas tomassem maiores proporções e alastrassem aos prédios vizinhos.

Ainda assim, após avaliação da proteção civil e dos serviços de ação social da Câmara de Santarém, concluiu-se que o edifício não tinha condições de habitabilidade, tendo a autarquia procedido ao realojamento temporário dos desalojados, em colaboração com o patrão de alguns dos moradores, a maioria trabalhadores imigrantes.

Fonte dos Bombeiros Municipais de Santarém, que estiveram no local com 4 viaturas e 9 operacionais, revelou à Rede Regional que a origem do incêndio ainda é desconhecida, estando o caso a ser investigado pela PSP, que tomou conta da ocorrência.

incendio calcada monte alto

multibanco

A PSP de Santarém recebeu uma denúncia de uma potencial situação de clonagem de cartão multibanco mas refere que nada garante que o caso seja mesmo de clonagem, havendo até a possibilidade que se possa tratar de uma situação de burla.

Contactado pela Rede Regional, Jorge Soares, Subintendente responsável pelo Núcleo de Imprensa e Relações Públicas do Comando Distrital de Santarém da PSP, confirma a queixa, apresentada esta quarta-feira, 13 de fevereiro, mas explica que o cidadão em causa apenas sabe que fizeram uma transferência, desconhecendo quando e onde lhe retiraram o dinheiro.

"Estes casos podem ser clonagem mas também podem ser burlas. Gente que tem acesso a alguma informação e que consegue fazer transferências sem os donos saberem", explica Jorge Soares, adiantando que o multibanco situado no exterior de um edifício comercial junto ao terminal rodoviário de Santarém, que tem sido apontado nas redes sociais como local da clonagem, não tem atualmente qualquer equipamento de clonagem.

"Há vários casos nos últimos tempos de gente de Santarém a queixar-se mas em que os levantamentos ou transferências são à distância. Não me parece que haja aqui algum fenómeno novo", acrescentou, reforçando que tanto pode ser naquela caixa como noutra qualquer ou mesmo outro tipo de burla.

O responsável da PSP explica que as situações de clonagem normalmente acontecem não nas caixas de multibanco mas em terminais de pagamento em que, com a conivência dos funcionários, há um equipamento de filmagem para fixar o código e outro para clonar o cartão. Nestes casos, explica, o lesado separa-se física e visualmente do cartão durante alguns segundos, altura em que é feita a cópia dos dados.

Noutras situações, estas nas caixas multibanco, o que acontece é a introdução de um sistema bloqueador do cartão, que retém o mesmo no interior do equipamento. O burlão aproxima-se então do burlado a oferecer ajuda e sugere que ele marque novamente o código, altura em que se apropria da informação. Quando o lesado se vai embora, o meliante retira o sistema bloqueador e fica com o cartão e o código em seu poder.

Como nos casos ocorridos nos últimos dias os lesados não ficaram sem cartão, o ideal é que os utilizadores nunca o percam de vista e não tenham qualquer informação referente ao código junto do mesmo, ainda que de forma dissimulada.

BANCOS CONFIRMAM TENTATIVAS DE FRAUDE MAS NÃO CONFIRMAM CLONAGEM

Se a PSP apenas tem conhecimento oficial de um caso, às instituições bancárias da cidade já chegaram mais alertas. Ouvidos pela Rede Regional, dois responsáveis de duas agências da cidade confirmaram a existência de mais de uma dezena de casos de movimentações suspeitas (no total dos dois bancos), sendo que a maioria deles resultaram do próprio sistema de alerta da instituição, que posteriormente entrou em contacto com os clientes.

"Houve uma situação que não é normal, agora onde foi não conseguimos saber", explicou um dos referidos responsáveis.

rua fonte santa

Um casal de idosos, de 89 e 85 anos, foi assaltado esta terça-feira, 12 de fevereiro, em plena luz do dia, na casa onde ambos residem com um filho, situada junto à rua principal da localidade de Moçarria, concelho de Santarém.

Segundo a Rede Regional conseguiu apurar, o assalto ocorreu por volta da hora do almoço, numa altura em que o filho do casal tinha ido beber café a um estabelecimento situado a menos de 50 metros de casa.

Foi nesse momento que dois homens abordaram o casal, identificando-se como funcionários da Câmara Municipal de Santarém, e dizendo que iam tratar da limpeza do terreno. Com este argumento, conseguiram dividir o casal, ficando um atrás e outro à frente da casa, altura em que um dos meliantes se introduziu na habitação e conseguiu descobrir e furtar alguns sacos com dinheiro numa mesa de cabeceira.

Ao aperceber-se que alguma coisa estaria mal, o idoso começou a gritar, o que levou a que os dois ladrões fugissem do local, tendo no momento da fuga empurrado a mulher, que caiu e sofreu escoriações ligeiras, tendo sido posteriormente assistida, por precaução, no Hospital de Santarém.

Refira-se que a casa assaltada fica numa zona movimentada e com vários vizinhos, no cruzamento da Rua do Comércio com a Rua da Fonte Santa, a cerca de 100 metros da escola primária e a cerca de 50 de um café.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves