chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Sociedade

algemas-gnr

Um homem de 37 anos ficou em prisão preventiva após ter sido detido em flagrante delito pela prática de violência doméstica contra os seus pais, em Ourém.

Segundo a GNR, o suspeito, com antecedentes criminais pela prática do mesmo crime, foi detido pela guarda na terça-feira e presente ao Tribunal de Santarém na quinta-feira, onde lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Na descrição dos factos, a GNR relata que suspeito foi detido após uma denúncia de que o homem estava em casa a agredir os seus pais. Ao recebem o alerta, os militares da GNR do Posto de Ourém deslocaram-se de imediato ao local da ocorrência, tendo-se deparado com o agressor a empunhar numa mão uma faca e na outra um isqueiro.

"No momento em que os militares chegaram, o indivíduo tentou cortar o tubo de ligação a uma botija de gás, que se encontrava na cozinha, com a intenção de provocar uma explosão, não o tendo conseguido devido à pronta atuação dos militares", salienta a GNR.

acidenteFotoUtilCarroGNR

Um homem de 68 anos morreu e outra pessoa ficou ferida, sem gravidade, na sequência da colisão entre dois veículos ligeiros ocorrida este domingo, 17 de fevereiro na estrada nacional 118, na localidade de Pego, concelho de Abrantes.

O alerta do acidente foi dado ás 9h28, tendo o óbito sido confirmado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Médio tejo, que esteve no local juntamente com os Bombeiros Voluntários de Abrantes e a GNR, num total de 13 operacionais.

chamuscaAPAVprotocolo

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e a Câmara Municipal da Chamusca assinaram um protocolo de colaboração para disponibilizar o atendimento presencial de técnicos da Equipa Móvel de Apoio à Vítima (EMAV) da Lezíria do Tejo no concelho.

Este protocolo de apoio financeiro e logístico, que tem a duração de dois anos, prevê uma comparticipação anual de 5 mil euros a cargo do município, para apoio ao funcionamento da equipa móvel da APAV, que se irá deslocar semanalmente à Chamusca para fazer atendimento a casos de vítimas de crime.

O atendimento, segundo uma nota de imprensa da Câmara da Chamusca, “é realizado por um jurista ou psicólogo nas instalações do Centro de Inclusão Social, entre as 9h30 e as 12h30, todas as sextas-feiras”.

A EMAV tem como objetivo “a prestação de serviços, gratuitos, confidenciais e qualificados, de apoio emocional, jurídico, psicológico e prático aos cidadãos vítimas de crime e de violência, nomeadamente os mais vulneráveis”, de acordo com a mesma nota.

O Presidente da Câmara Municipal, Paulo Queimado, frisou a importância de ter uma resposta deste tipo na Chamusca, e recordou que, apesar do município ter rejeitado a transferência de competências na área da justiça (que incluía a área de apoio às vítimas de crime), decidiu apoiar o trabalho da APAV por considerar que “é a estrutura mais adequada para atuar nesta área, uma vez que a autarquia não dispõe dos meios nem dos técnicos especializados para o efeito”.

Além da Chamusca, já formalizaram protocolo de apoio à EMAV os municípios de Santarém, Rio Maior, Almeirim e Salvaterra de Magos, sendo que o objetivo da APAV é efetivar este protocolo e o atendimento no terreno com os restantes municípios da Lezíria do Tejo.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves