chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Saúde

doutores palhacos1

O documentário “Doutores Palhaços”, que reúne testemunhos de alguns dos palhaços e inclui depoimentos dos profissionais de saúde e dos familiares das crianças internadas, vai ter duas edições especiais esta terça-feira, 18 de dezembro, nos cinemas Castello Lopes do centro comercial W Shopping, em Santarém.

As sessões, marcadas para as 18h00 e as 21h00, contarão com a presença do realizador Bernardo Lopes e de Carlota Mascarenhas, coordenadora de angariação de fundos da Operação Nariz Vermelho, responsável pelos Doutores Palhaços, que visitam regularmente as secções de pediatria de quinze hospitais nacionais na tentativa de avivar a esperança e aliviar a dor aos pacientes, familiares e corpo clínico dos hospitais.

Este documentário acompanha as equipas presentes em 5 desses 15 hospitais abrangidos pelas visitas da Operação Nariz Vermelho: o IPO de Lisboa, Hospital D. Estefânia, Hospital Amadora-Sintra, Hospital Pediátrico de Coimbra e Centro Materno Infantil do Norte.

As receitas revertem a favor da Operação Nariz Vermelho.

O presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, reivindica o aumento do número de médicos de família nos centros de saúde do concelho e a continuidade da definição de Salvaterra de Magos como concelho prioritário “para o tornar atrativo para novos médicos em face da melhoria das suas condições remuneratórias”.

O autarca reuniu esta semana com a Ministra da Saúde, Marta Temido, o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, e o Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, tendo solicitado mais uma vez a reabertura das extensões de saúde de Muge e do Granho e que, enquanto tal não suceda, pudesse ser encarada a hipótese de os médicos contratados pela Câmara Municipal para os consultórios municipais dessas duas localidades poderem passar exames complementares de diagnóstico.

Hélder Esménio solicitou ainda a cooperação da ARSLVT no processo de convencimento dos médicos de saúde familiar a constituírem uma USF – Unidade de Saúde Familiar no concelho e a necessidade de a tutela encarar a construção de um novo edifício para a extensão de saúde de Marinhais, “ficando o Município disponível para ofertar o terreno para a sua implantação”.

Segundo o autarca, “a ARSLVT ficou de estudar a possibilidade de apresentar candidatura aos fundos comunitários para o efeito”. Quanto às projetadas obras de requalificação do centro de saúde de Salvaterra de Magos, orçadas em quase 80 mil euros, a informação é que, “em princípio, vão poder iniciar-se com o Orçamento de Estado de 2019”, concluiu o autarca.

Num balanço às negociações, Hélder Esménio considera que tem valido a pena o trabalho que tem sido feito pelo município junto das várias instituições, tendo o concelho passado “de uma situação em que tínhamos 60% dos utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) sem médico de família para 25% e mesmo estes contam agora com médicos contratados pelo SNS”.

“Vamos, por isso, continuar a insistir na vinda de mais médicos de família para o concelho”, rematou.

torresnovascentrosaude

A Câmara Municipal de Torres Novas aprovou a abertura de concurso e caderno de encargos para a requalificação da unidade de saúde local, um projeto que prevê a remodelação de grande parte do atual edifício do Centro de Saúde.

A obra, segundo uma nota de imprensa da autarquia, vai ser feita em “consonância com as orientações dos responsáveis do Centro de Saúde de Torres Novas, do ACES e da ARSLVT”, tendo já sido celebrado “um contrato-programa segundo o qual compete ao município aprovar e realizar todos os atos necessários à abertura e desenvolvimento do concurso público para a execução da empreitada”.

O orçamento da empreitada ronda os 605 mil euros, acrescidos de IVA, sendo o prazo de execução proposto de 360 dias.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves