chamusca-celia-barrocabanner festas

O presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, reivindica o aumento do número de médicos de família nos centros de saúde do concelho e a continuidade da definição de Salvaterra de Magos como concelho prioritário “para o tornar atrativo para novos médicos em face da melhoria das suas condições remuneratórias”.

O autarca reuniu esta semana com a Ministra da Saúde, Marta Temido, o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, e o Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, tendo solicitado mais uma vez a reabertura das extensões de saúde de Muge e do Granho e que, enquanto tal não suceda, pudesse ser encarada a hipótese de os médicos contratados pela Câmara Municipal para os consultórios municipais dessas duas localidades poderem passar exames complementares de diagnóstico.

Hélder Esménio solicitou ainda a cooperação da ARSLVT no processo de convencimento dos médicos de saúde familiar a constituírem uma USF – Unidade de Saúde Familiar no concelho e a necessidade de a tutela encarar a construção de um novo edifício para a extensão de saúde de Marinhais, “ficando o Município disponível para ofertar o terreno para a sua implantação”.

Segundo o autarca, “a ARSLVT ficou de estudar a possibilidade de apresentar candidatura aos fundos comunitários para o efeito”. Quanto às projetadas obras de requalificação do centro de saúde de Salvaterra de Magos, orçadas em quase 80 mil euros, a informação é que, “em princípio, vão poder iniciar-se com o Orçamento de Estado de 2019”, concluiu o autarca.

Num balanço às negociações, Hélder Esménio considera que tem valido a pena o trabalho que tem sido feito pelo município junto das várias instituições, tendo o concelho passado “de uma situação em que tínhamos 60% dos utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) sem médico de família para 25% e mesmo estes contam agora com médicos contratados pelo SNS”.

“Vamos, por isso, continuar a insistir na vinda de mais médicos de família para o concelho”, rematou.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves