chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Politica

novarede

Os município de Almeirim e Rio Maior rejeitaram, para já, a transferência da maioria das novas competências da administração central que o Governo quer descentralizar.

No caso de Almeirim, a câmara municipal apenas aceita, para já, competências nas áreas dos jogos e dos edifícios públicos sem utilização, rejeitando todas as outras.

O presidente da autarquia, Pedro Ribeiro, admite aceitar as restantes competências, embora defenda que algumas delas devem ser colocadas num âmbito intermunicipal, como é o caso das multas, com a receita a ser canalizada para segurança rodoviária.

Por outro lado, o autarca defende uma maior clarificação em termos das compensações financeiras, lembrando o que se tem passado na educação, em que, numa década, as populações ficaram melhor servidas, mas as finanças da câmara municipal perderam, porque as câmaras fazem coisas que o ministério não faria.

Em Rio Maior, a Assembleia Municipal aprovou a rejeição de novas competências da administração central para o município, aceitando apenas que fiquem na comunidade intermunicipal a gestão de fundos europeus e captação de investimento e a promoção turística.

Também aqui ficou aberta a porta a uma alteração futura desta decisão, tudo dependendo da clarificação do processo e das obrigações e meios financeiros a transferir.

 joaquim rafael gomes

Joaquim Rafael Gomes, de 28 anos, foi eleito no sábado, 26 de janeiro, presidente da Juventude Socialista (JS) de Almeirim.

É “um desafio que de certo me vou dedicar a 100%. Sigo com o slogan de «Esquerda XXI: juventude, experiência e conhecimento», por achar que é esse o caminho certo a percorrer”, explicou o novo líder na sua página no facebook.

Joaquim Rafael Gomes diz que este “vai ser um mandato bastante estimulante pelas eleições que vão decorrer” e que tem como objetivo “conseguir trazer os jovens de Almeirim a participarem na vida política do nosso concelho e do nosso país”.

“Somos nós os jovens o futuro, e o futuro prepara-se no presente”, remata.

ourem executivo

A Câmara Municipal de Ourém vai investir cerca de meio milhão de euros na criação de um Centro de Recolha Oficial para receber animais errantes.

O investimento, no valor de 455 mil euros, acrescidos de IVA, já foi aprovado em reunião de executivo camarário e destina-se a fazer face à proibição do abate de animais por motivo de sobrelotação das instalações.

Segundo a autarquia, o Centro de Recolha Oficial de Ourém permitirá o acolhimento de animais errantes, num período compreendido entre 15 e 21 dias, no fim do qual será feito o transporte dos mesmos para o Centro Intermunicipal de Recolha de Animais Errantes de Proença-a-Nova.

O canil, que poderá ser alargado posteriormente, será construído junto ao edifício do Serviço Municipal de Proteção Civil e terá capacidade para acolher entre 14 a 21 cães e 15 a 48 gatos, consoante o tamanho dos animais.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves