chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Educação

santaremprofessoresbesafe

Os parceiros do projeto internacional “BE.Safe”, que reúne educadores de vários países que trabalham com portadores de deficiências intelectuais, foram recebidos esta quarta-feira, 6 de fevereiro, no Convento de São Francisco, em Santarém.

O grupo, formado por cinco parceiros do projeto, sediado na Polónia (país coordenador) Portugal, Macedónia, Bélgica e República Checa, está em Santarém este mês para a realização de um curso para professores e auxiliares, coordenado por Ana Torres, professora da Escola Superior de Educação de Santarém (ESES) e Sílvia Canha, professora do Agrupamento de Escolas Alexandre Herculano.

O projeto “BE.Safe”, cofinanciado no âmbito do programa Erasmus + KA2 Strategic Partnership, tem por objetivo capacitar os educadores a fornecer informações sobre crimes na Internet e capacitá-los a permanecerem seguros online.

“Os parceiros têm experiência diversificada no trabalho e representação de pessoas com deficiências intelectuais e combinam os seus conhecimentos ao colaborar no projeto”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Santarém, que acrescenta que “os parceiros vão recolher estudos de casos que darão exemplos de situações em que pessoas com deficiências intelectuais podem ser vítimas de crimes na Internet”.

paco negros escola

As obras na escola e no jardim de infância de Paço dos Negros, no concelho de Almeirim, continuam a decorrer e, segundo o presidente da autarquia, Pedro Ribeiro, “se tudo decorrer como previsto, no terceiro período estará pronta a receber os alunos”.

As obras têm um investimento de cerca de 441 mil euros e estão a ser feitas com recurso a fundos comunitários no valor de 85% da obra (cerca de 375 mil euros). Os restantes 15% (66 mil euros) serão pagos pela autarquia.

Durante as obras, os cerca de 70 alunos do jardim de infância e escola primária de Paço dos Negros estão a ter aulas na escola de Marianos, que se encontrava desativada.

salvaterrahoraconto

Ao longo dos meses de janeiro, fevereiro e março, o projeto “hora do conto” espera levar à biblioteca municipal de Salvaterra de Magos cerca de 1.200 crianças dos jardins de infância dos agrupamentos de escolas Marinhais e Salvaterra, e utentes da Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s) do concelho.

As histórias escolhidas, “O Monstro das Cores”, de Anna Llenas, e “A Águia e a Água”, de Mia Couto, integram o Plano Nacional de Leitura, e “pretendem fazer despertar diferentes emoções nas crianças”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Salvaterra.

Na edição deste ano, o projeto “inclui atividades complementares para estimulação das competências socio-emocionais dos mais novos, desenvolvidas pela Equipa Multidisciplinar de Intervenção Comunitária (EMIC) do município, no âmbito dos objetivos do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar da Lezíria do Tejo.

Os participantes têm ainda oportunidade de conhecer o espaço e as valências da biblioteca, bem como realizar uma visita guiada à exposição que se encontra patente no átrio principal.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves