chamusca-celia-barrocabanner festas

cartaxoponteveldsanchoi

Sempre que chove com maior intensidade, várias salas da escola EB 2,3 D. Sancho I, em Pontével, concelho do Cartaxo, ficam inundadas por água que escorre pelo teto e pelas paredes, uma situação que já obrigou à interrupção das atividades letivas.

Nestes dias, a solução é espalhar baldes pelo chão para apanhar as gotas, e mandar sair os alunos porque a água ameaça provocar curto-circuito nas lâmpadas no teto ou nas tomadas elétricas.

“A última coisa que queremos é deixar os miúdos sem aulas, mas acima de tudo temos que assegurar a sua segurança”, disse à Rede Regional o diretor deste agrupamento de escolas, Luis Lourenço, explicando que a situação é consequência direta da falta de manutenção no edifício escolar.

A escola nunca foi intervencionada desde que foi construída, há cerca de 20 anos, e tem agora as “caleiras completamente entupidas e as coberturas a necessitarem de uma limpeza profunda”, afirma o professor.

Os problemas, já de si graves, “tendem a agravar-se de ano para ano”, continua Luís Lourenço, explicando a direção do agrupamento tem “transmitindo insistentemente o assunto à Câmara do Cartaxo”, que ficou responsável pela D. Sancho I desde 2009.

A autarquia “tem feito algumas intervenções pontuais, mas longe daquilo que os edifícios escolares necessitam”, lamenta Luís Lourenço.

Contatado pela Rede Regional, o presidente da Câmara do Cartaxo explicou que a autarquia, nas últimas semanas, realizou “duas intervenções maiores nas coberturas, no sentido de acabar com as infiltrações e mitigar os riscos de segurança”, mas reconhece que o problema está longe de ter ficado resolvido.

“Está em curso um procedimento de concurso para reparar a cobertura do pavilhão desportivo, que vai resolver esta questão, e vamos inaugurar no próximo ano letivo o novo centro escolar de Pontével, pelo que o ideal seria ter esta escola completamente requalificada por essa altura”, afirmou Pedro Magalhães Ribeiro, acrescentando que os edifícios “necessitam de uma intervenção profunda a nível do isolamento e de pintura”.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves