chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Desporto

santarembiodanzasobral

O grupo informal que pratica “biodanza” todas as quintas-feiras na casa de convívio do Centro Recreativo e Cultural Sobralense, na aldeia do Sobral, concelho de Santarém, comemorou dois anos de atividade.

A “biodanza” é uma prática também conhecida como dança da vida, e definida como um sistema de integração afetiva e renovação orgânica, através dos movimentos criados pelo grupo, ao som de música e através de exercícios relaxantes.

“Tem como objetivos promover o bem-estar emocional, a saúde, o equilíbrio e alegria de viver”, explica Ana Garoupa, a dinamizadora deste grupo muito heterogéneo, com praticantes de vários grupos etários e com exercícios adequados a todas as idades.

Agora que comemorou o segundo aniversário, o grupo pretende aumentar o número de praticantes, até porque conta já com alunos de Santarém e de outras localidades.

ouremfatimaandreluis

A Sociedade Anónima Desportiva que gere o CD Fátima anunciou a contratação de André Luís como o substituto de Nuno Kata, que chegou a acordo com o clube para uma rescisão amigável na semana passada.

“Estou muito feliz por ter chegado a um clube desta dimensão”, escreve o jovem treinador scalabitano na sua página do Facebook, onde acrescenta que “as oportunidades surgem quando existe empenho, dedicação, seriedade, competência e acima de tudo paixão, mas só serão materializadas quando alguém reconhece e acredita em nós”.

Aos 36 anos, André Luís chega a um clube da dimensão do Fátima depois de duas épocas e meia no Coruchense e duas no SL Cartaxo, tendo no seu palmarés um título de campeão distrital e a experiência de uma época no Campeonato de Portugal.

Além de André Luís, que vai acompanhado do seu adjunto Diogo André, o CD Fátima, que ocupa atualmente o 9º lugar da Série C do Campeonato de Portugal, garantiu também a contratação do ponta de lança nigeriano Abraham Adelaja, de 31 anos, que estava no U. Madeira, e que já passou pelo Farense, Mafra, Felgueiras e Lusitano VRSA.

benaventesamoraciclismo

Mais de 500 ciclistas coloriram as estradas do concelho de Benavente na manhã de domingo, 10 de fevereiro, durante o “IV Contrarrelógio” da Casa do Benfica de Samora Correia, que colocou 56 equipas em competição.

A vencedora foi a formação dos Tenrinhos & Chorões, com o trio Bruno Saraiva, Carlos Gomes e Nuno Silva a cumprir os 80 quilómetros em 1h55m11s.

Apesar do piso escorregadio e de alguma chuva miudinha, o andamento foi forte e a equipa Swick Cycling Team C.B Almodôvar foi a segunda mais rápida, seguindo-se, no terceiro lugar do pódio, o União de Ciclismo do Alentejo.

A formação do Grupo Desportivo dos Canaviais ficou em 4º lugar e os “Magic Monsters” fecharam o quinteto premiado, numa prova que ofereceu aos mais rápidos do pelotão bicicletas e valores que oscilam entre os 500 e os 12.500 euros.

As joias da coroa foram cinco máquinas usadas na “Volta a Portugal” no período 1960/1970, e que foram recuperadas a rigor, até com as rodas usadas nos contra-relógios na época.

Os veteranos trajaram-se a rigor com os equipamentos que os campeões usaram há quase 60 anos.

Fazendo um balanço francamente positivo desta iniciativa, João Marcelino, da secção de ciclismo da Casa do Benfica de Samora Correia, considerou que os objetivos foram atingidos e destacou a participação de equipas de várias regiões do país.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves