chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Cultura

 petiscos tomar

Os petiscos mais tradicionais de Tomar vão estar à prova entre os dias 15 e 24 de fevereiro, das 17h00 às 24h00, em vários locais de restauração da cidade.

A iniciativa de promoção da gastronomia local é organizada pela Câmara de Tomar e chama-se “Tomar à Prova”, colocando à disposição dos interessados um total de 18 petiscos (dois locais apresentam duas sugestões), cada um dos quais acompanhado de um copo de vinho de Tomar (ou Mouchão).

O preço é de apenas três euros por cada conjunto de petisco e bebida e o objetivo é incentivar a circulação pelos diversos espaços, para o que existe um “passaporte”, onde são apresentados todos os petiscos.

A grande maioria dos locais fica situada no centro histórico ou nas suas imediações, havendo dois a norte da cidade e ainda um na freguesia de S. Pedro. Há propostas para todos os gostos, desde moelas, bucho, fataça frita ou tábua de queijo, paio e presunto, até chamuças com queijo brie e estaladiço de morcela, bomba de alheira, broa tostada com morcela de arroz e redução de grelos ou pataniscas de lampreia.

A lista completa de locais e respetivos petiscos é a seguinte:

1º de Maio – Bucho e tripas guisados

Abrigo da Alma – Estaladiço de morcela; chamuças com queijo brie

Adega do Bolacha – Omelete de negrinha; patanisca de bacalhau

Amor Lusitano – Mata-borrão

Brasinha – Pratinho de enchidos da região

Café Santa Iria – Bomba de alheira

Cafetaria do Castelo – Broa de bacalhau

Cervejaria Casa da Vera – Asinhas de frango

Cervejaria Lusitânia – Moelas

Cervejaria Noite e Sol – Bucho à Noite e Sol

Infante – Broa tostada com morcela de arroz e redução de grelos

Lúria – Pataniscas de lampreia

Picadeiro - Tábua de queijo, paio e presunto

Refúgio – Fataça frita

Siciliano – Fatia de pizza

Tabernáculo do Rio – Moelas

santaremCCSgaaaniv

Para celebrar artisticamente os seus 64 anos de existência, o Círculo Cultural Scalabitano (CCS) vai realizar uma gala de aniversário no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, que se divide entre sábado, 9 de fevereiro, às 21h30, e domingo, dia 10, às 16 horas.

Trata-se, segundo uma nota de imprensa do CCS, de um “espetáculo diversificado, constituído por uma mostra do melhor trabalho criativo e artístico que é produzido e promovido pelos seus grupos artísticos e academias de formação”, e que é também uma “demonstração de força e vitalidade de uma associação com larga experiência de dádiva e afirmação cultural na cidade e na região de Santarém”.

A gala começa com uma coreografia de esgrima artística pelo grupo Scalabitanus, dirigido por Paulo Cruz, ao som da guitarra clássica de João Loureiro, que logo de seguida atuará em duo com Isabel Pereira, juntando a viola de arco à guitarra.

Segue-se a primeira intervenção da Academia de Dança e Expressão Corporal (Ballet), com a apresentação de uma coreografia criada por Encarnação Noronha, a que se seguirá a intervenção do Coro do Círculo, sob orientação do Maestro António Matias, com a apresentação de peças do seu reportório mais recente, alternando com temas mais conhecidos do público.

Voltará então o Ballet, desta feita a coreografia “Santa Maria de Santarém”, também de criação da Professora Encarnação Noronha, seguida da apresentação de um numero de Jograis, pelo Veto teatro Oficina, sob direção de António Júlio Santos que apresentará textos e poemas numa versão brincalhona, mas evocando grandes grupos de jograis de Santarém, de entre os quais é relevante recordar pessoas como Carlos Augusto Mendes, Nuno Neto de Almeida, Virgílio Barrera, Florindo Custódio, entre outros.

O Ballet voltará ao palco para uma atuação a solo de Mafalda Murta, com uma coreografia de sua autoria e, a gala encerrará com a intervenção da Orquestra Típica Scalabitana, com direção do maestro Abílio Figueiredo, para a apresentação de alguns dos seus temas mais icónicos e sempre preferidos do público.

Na final do espetáculo de sábado, dia 9, serão cantados os parabéns ao CCS, com bolo de aniversário para distribuir pelo público presente.

santaremculurapror

“Cantopeia – Gente Feliz que Dança” é uma das próximas propostas da programação do “Santarém Cultura”, num espetáculo para crianças e adultos que é um desafio para muitos pés e cabeças que se juntam a escutar, a dançar e a cantar, num ambiente acolhedor e criativo.

Da autoria de Rita Roberto, o espetáculo realiza-se no próximos dias 8 e 9 de fevereiro, no Palácio Landal, sendo que a primeira sessão conta com a participação dos alunos do jardim de infância do Choupal, e a segunda é aberta à participação de famílias.

Licenciada em artes plásticas e pintura, Rita Roberto apresenta trabalho artístico próprio desde 2004, e, desde 2008, desenvolve projetos educativos nas áreas de artes plásticas e performativas, em espaços culturais e em contexto escolar.

A partir do dia 5 de fevereiro, o Palácio Landal vai também acolher a exposição “ÁGUA,TERRA, AR”, de André Sier, Boris Chimp 504 e Sonoscopia, uma mostra de novos media e artes digitais de entrada gratuita, patente até dia 23 de março.

Nesta exposição, serão também integradas, de forma ativa e passiva, fotografias de autoria de José Freitas, que fez um trabalho de levantamento de imagens dos reservatórios da cidade.

Ainda da programação do “Santarém Cultura”, de 4 a 8 de fevereiro, Catarina Moura leva “Trava-Línguas” até às escolas do Concelho.

Catarina Moura é cantora e intérprete nos projetos Brigada Victor Jara, Fica no Singelo, de Clara Andermatt, Segue-me à Capela e no projeto infantojuvenil Taleguinho, tendo interpretado também peças originais de fado e cantares tradicionais em vários projetos musicais, em bandas sonoras de filmes e teatro.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves