chamusca-celia-barrocaurbanidade

Cultura

santaremvalefigueiraigreja

“A Igreja de São Domingos de Vale de Figueira, Santarém – História e Património” é o nome do livro que o padre Tiago Moita vai lançar no próximo dia 6 de abril, às 16 horas, na sede da atual União de Freguesias em Vale de Figueira.

A apresentação da obra vai contar com uma intervenção de Sandra Costa Saldanha, diretora do Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja, a que se segue, pelas 16h30, a apresentação do documento “Referentes Paroquiais para os Bens Culturais da Igreja”, pelo padre Joaquim Ganhão.

O lançamento do livro está integrado na VII Jornada Diocesana para os Bens Culturais da Igreja, que arranca às 10 horas, com o acolhimento e receção aos participantes, seguindo-se quatro apresentações durante a manhã.

“Paróquia de São Domingos de Vale de Figueira (Santarém) – resenha histórica e algumas notas sobre as suas capelas particulares” é o tema da intervenção do historiador Rui Mesquita Mendes, seguindo-se o também historiador Ruy Ventura, da Diocese de Setúbal, com “D. Manuel de Portugal e Frei Agostinho da Cruz – dois poetas em Vale de Figueira”.

O investigador José João Loureiro e o padre Tiago Moita vão falar sobre “Os Retábulos da Igreja de São Domingos de Vale de Figueira”, cabendo a Alexandra Gago da Câmara, da Universidade Aberta, terminar o período matinal com o tema “O revestimento azulejar da Igreja de São Domingos de Vale de Figueira”.

A seguir ao intervalo para almoço e antes do lançamento do livro, pelas 15 horas, vai decorrer uma visita guiada à igreja de São Domingos de Vale de Figueira, num programa que encerrará pelas 17 horas, com um momento musical pelo coro de São Domingos da Paróquia de Vale de Figueira.

 str-cultura2

António Zambujo, Salvador Sobral e Vitorino são os três nomes principais da programação cultural do projeto Santarém Cultura para o segundo trimestre de 2019, apresentada esta sexta-feira, 22 de março.

Zambujo, conhecido entre outras músicas pelo Pica do 7, um dos nomes incontornáveis da música portuguesa atual, atua no Teatro Sá da Bandeira (TSB), a 12 de abril, uma sexta-feira. O espetáculo vai viver muito à conta do seu novo álbum – “Do Avesso” – mas não faltarão as músicas mais antigas, interpretadas ao vivo com um grupo de 7 músicos.

A 4 de maio, um sábado, é a vez de Salvador Sobral atual finalmente em Santarém. O vencedor da Eurovisão em 2017 virá na “versão” Alma Nuestra, uma banda criada com o amigo Victor Zamora. Atuarão no Sá da Bandeira acompanhados de Nelson Cascais e André Sousa Machado.

Ainda em Maio, mas no dia 18, o auditório do Cnema servirá de palco ao fadista Ricardo Ribeiro, uma das vozes do momento na canção nacional. O espetáculo está inserido num evento nacional da Ordem dos Advogados, mas que também será aberto ao público em geral.

Outro destaque da programação é a atuação do duo Cordis, composto por Paulo Figueiredo e Bruno Costa, lado a lado com a voz única de Vitorino. O espetáculo realiza-se a 20 de junho, no Largo do Seminário, e servirá de abertura para o In.Santarém.

A juntar a estes nomes, realce ainda para os espetáculos com a Banda Sinfónica da PSP (21 de maio no TSB) e o premiado Hamlet, da Companhia do Chapitô (25 de maio no TSB).

BALANÇO POSITIVO DE UM PRIMEIRO TRIMESTRE AINDA INCOMPLETO

Na apresentação dos principais eventos para o segundo trimestre, a vice-presidente da Câmara de Santarém, Inês Barroso, também responsável pelo pelouro da Cultura, fez um balanço positivo da parceria iniciada em janeiro com a empresa do programador do projeto Santarém Cultura, João Aidos.

ines-aidos“Estamos renovar o Teatro Sá da Bandeira, vamos renovar o Convento de São Francisco. Estamos a conseguir que Santarém assista ao que de melhor se faz em Portugal e catapultar Santarém a nível nacional”, disse Inês Barroso, garantindo uma “perfeita sintonia” entre as duas partes.

João Aidos salientou a resposta massiva do público às iniciativas no Teatro Sá da Bandeira, com espetáculos esgotados e casas quase cheias, bem como de uma grande procura das ofertas por parte das escolas e das instituições.

“Estes dois fatores juntos revelam uma população, no geral, recetiva às ofertas apresentadas, sedenta de mais e a dizer pronto à arte e à cultura, o que torna o desafio ainda maior nas próximas propostas”, afirmou o programador.

santaremmundointeriorsadabandeira

“Mundo Interior”, de João Paulo Santos e João Garcia Miguel, é o espetáculo de circo contemporâneo que sobe ao palco do Teatro Sá da Bandeira no próximo sábado, 23 de março, às 21h30.

O espetáculo “surge de um sonho antigo” dos autores, “um sonho tão longínquo quanto o tempo em que João e João se encontraram no Chapitô, enquanto professor e aluno e, no entanto, já como almas e artistas”, explica uma nota da Câmara de Santarém, que acrescenta que os bilhetes custam 7 euros.

No que se refere à programação do “Santarém Cultura”, “Odeio Este Tempo Detergente” é o nome do espetáculo construído a partir da poesia de Ruy Belo que Ana Nave leva ao palco do Teatro Sá da Bandeira, dia 30 de março, pelas 21h30.

A peça conta com as interpretações de Maria João Luis, José Peixoto e Ana Nave, para quem não é possível fazer a história da poesia portuguesa do século XX sem falar deste poeta natural de São João da Ribeira, concelho de Rio Maior, que não deixou ninguém indiferente.

No Palácio Landal, continua patente a exposição de novos media e artes digitais “Água, Terra, Ar”, de André Sier, Boris Chimp 504 e Sonoscopia.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves