PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem


A Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), com sede no Cartaxo, a Câmara de Oeiras e o Ministério da Defesa vão realizar a cerimónia de entrega de medalhas e diplomas aos produtores premiados no XI concurso internacional de vinhos "La Selezione del Sindaco" ( a escolha do Presidente), que decorreu em Lamezia Terme, na Itália, no final de Maio.

Esta iniciativa decorre na sexta-feira, 20 de Julho, no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras, com uma visita ao monumento marcada para as 17 horas, a cerimónia de homenagem aos premiados às 18 horas, e uma prova de vinhos às 19 horas.

Este concurso internacional, o único em que os produtores e os respectivos municípios de proveniência dos vinhos concorrem em conjunto, premiou com a medalha de prata quatro néctares do Ribatejo: o branco “Quinta da Lagoalva”, produzido pela Quinta da Lagoalva Sociedade Agrícola (Alpiarça), e os tintos “Casal do Conde”, da Sociedade Agrícola Casal do Conde (Cartaxo), e dois “Quinta dos Penegrais Reserva 2010”, o Syrah e o Syrah, Touriga Nacional, Alicante e Boushet, da Quinta dos Penegrais (Rio Maior).

Mais informação em:

Vinhos portugueses a caminho de concurso internacional


A Águas do Ribatejo está a realizar os últimos ensaios para a colocação em funcionamento do subsistema de abastecimento de água no Couço, concelho de Coruche, depois de ter concluído as obras de renovação.

O investimento, segundo uma nota de imprensa da empresa intermunicipal, ascendeu aos 700 mil euros e inclui um novo reservatório, furos de captação e condutas para a ligação dos novos furos aos dois reservatórios que agora vão servir a freguesia.

“O sistema tem associado um gerador que vai assegurar o funcionamento em caso de falta de energia”, explica a Águas do Ribatejo, acrescentando que “está preparado para servir as populações em situações de emergência no âmbito da protecção civil”.

A capacidade de reserva fica superior a dois dias e a qualidade da água também será melhorada, “uma vez que as captações onde existiam algumas alterações dos valores paramétricos de alguns metais serão eliminadas”, diz a mesma nota.

2,4 milhões de euros de investimento na freguesia

A renovação do sistema de abastecimento de água vem juntar-se, segundo a empresa, ao novo sistema de águas residuais do Couço, Foros Lagoiços e Santa Justa, que já está a assegurar o tratamento dos esgotos “a mais de 90% da população da freguesia”.

Esta obra de 1,7 milhões de euros traduziu-se na construção de uma nova ETAR no Couço, emissários e quatro novas estações elevatórias que recolhem as águas residuais nestas três localidades.

O investimento teve uma comparticipação de 68% de fundos comunitários, tendo o restante sido “assumido pela empresa com recurso às receitas provenientes das facturas pagas pelos seus clientes”, num sistema que “está preparado para o previsível crescimento das populações residentes, influenciado pelo desenvolvimento previsto para o concelho de Coruche”, aduz a Águas do Ribatejo.

A empresa intermunicipal – que gere os sistemas de abastecimento de água e saneamento básico nos concelho de Almeirim, Alpiarça, Chamusca, Benavente, Salvaterra de Magos, Coruche e Torres Novas – saliente ainda que o investimento no Couço custou cerca de 800 euros por cada habitante. Isto porque a freguesia é uma das maiores do país em área territorial, com 346 quilómetros quadrados, e regista uma densidade populacional de oito habitantes/km2.


“Alpiarça Terra do Melão – o labor e um sabor da nossa terra” é o mote para o III festival dedicado que a este fruto que vai decorrer no fim-de-semana de 21 e 22 de Julho, no Parque do Carril.

Segundo Mário Pereira, o presidente da Câmara de Alpiarça, responsável pela organização do certame, esta iniciativa cumpre dois objectivos principais.

Por um lado, “fazer a necessária justiça ao povo de Alpiarça, às várias gerações de produtores e seareiros que, ao longo de décadas, se dedicaram à produção do melão e da melancia”, mas também, por outro lado, contribuir para a promoção deste produto único do concelho.

Os organizadores esperam “efeitos positivos na sua comercialização e o consequente impacto na economia local”, salientou o autarca na conferência de imprensa de apresentação do festival, que decorreu na quinta-feira, 12 de Julho.

O certame será também “um momento de diversão e de afirmação da cultura alpiarcense, com um cartaz de espectáculos de cariz popular”, com destaque para o fado, o folclore, um baile, jogos tradicionais e animação infantil, e passeios de bicicleta, de carros antigos e de barco na Vala.

Não faltará também o artesanato local, a gastronomia e vinhos, e a agricultura biológica, num festival com um orçamento “realista, à medida das possibilidades financeiras das autarquias e do contexto de dificuldades que vivemos”, salientou Mário Pereira.

O autarca destacou ainda o regresso da realização dos concursos de melão e melancia e os “workshops” sobre a temática agrícola e gastronómica em torno dos produtos que são o motivo principal do festival.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 722 visitantes e 0 membros em linha