PUB

chamusca festival7

PUB

fngastronomia

A partir de 2013 a cerveja da marca Tagus vai passar a ser produzida na antiga fábrica da cerveja Cintra, na Quinta da Mafarra, em Santarém, atualmente propriedade da cervejeira espanhola Damm.

O anúncio foi feito pela Sumol+Compal, detentora da marca Tagus, que comunicou à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a venda da marca ao grupo Damn e a assinatura de um acordo de distribuição com os espanhóis, que lhe permite distribuir em exclusivo as marcas de cerveja da empresa (como a Estrella Damm) durante cinco anos. Segundo a Sumol+Compal, o negócio custou cerca 2,6 milhões de euros.

Recorde-se que o grupo Damm, através da participada Font Salem, comprou a antiga fábrica Cintra (fundada em 2001 por Sousa Cintra) há cerca de dois anos (em Fevereiro de 2010), por 15,5 milhões de euros, no âmbito de um processo de insolvência.

Atualmente a fábrica de Santarém produz essencialmente cervejas de marca branca para cadeias de super e hipermercados como o Continente, a Auchan e o Minipreço). Parte da cerveja Sagres, produzida em Vialonga, é também engarrafada na antiga fábrica Cintra.

Quanto à Tagus, é produzida presentemente numa fábrica em Pombal que deverá continuar em funcionamento.

A Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) vai assinalar o seu 5º aniversário no próximo dia 30 de Abril, com um seminário subordinado ao tema “o poder local, o vinho e o mundo rural”, que se realiza no auditório do Museu Rural e do Vinho do Concelho do Cartaxo, na Quinta das Pratas, a partir das 15 horas.

Para abordar o tema, esta iniciativa terá como convidados João Machado, presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Paulo Varanda, presidente da Câmara do Cartaxo, da AMPV e da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), Ana Teresa Vicente, presidente da Câmara de Palmela e cidade europeia do vinho 2012, José Maria Costa, presidente da Câmara de Viana do Castelo e cidade do vinho 2011, e Regina Pinto, presidente da Federação Portuguesa das Associações de Desenvolvimento Local – A Minha Terra.

“Este seminário tem como objectivo realçar o trabalho que tem sido desenvolvido pelos municípios em prol da promoção do territórios vitivinícolas e das tradições culturais, etnográficas e gastronómicas ligadas ao vinho”, explica uma nota de imprensa da AMPV, onde esta associação com sede no Cartaxo salienta que o debate visa ainda “discutir a importância do vinho enquanto factor de desenvolvimento sustentável para o mundo rural, que cada vez mais é visto como um novo modelo de vida de qualidade paras as populações”.

Integrada na celebração do aniversário, vai decorrer ainda uma cerimónia de entrega dos prémios “Prestígio AMPV 2011” à entidade do ano e personalidade do ano, e uma homenagem aos 18 municípios que, a 30 de Abril de 2007, constituíram a associação: Ponte da Barca, Lamego, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Cantanhede, Mealhada, Gouveia, Cartaxo, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Palmela, Borba, Moura, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Sousel e Vidigueira.

“Inaugurar quatro ETAR’s num só dia deve ser um caso muito pouco comum no país”, comentou o presidente do conselho de administração da Águas do Ribatejo, José Sousa Gomes, durante a inauguração oficial da ETAR de Paço dos Negros, concelho de Almeirim.

Esta foi a terceira cerimónia realizada pela empresa intermunicipal, que reservou a manhã de sexta-feira, 20 de Abril, para as inaugurações das ETAR’s de Santo Estêvão e da Barrosa, no concelho de Benavente, onde esteve presente o secretário de Estado do Ambiente e Ordenamento do Território, Pedro Afonso de Paula.

À tarde, já sem o representante do governo, a comitiva seguiu para Paço dos Negros e terminou a jornada em Santana do Mato, Coruche, numa festa popular com música e porco assado no espeto, oferecido pela Junta de Freguesia.

No total, os quatro equipamentos custaram cerca de 2,7 milhões de euros. A ETAR e sistema elevatório de Paço dos Negros foi o investimento mais avultado, de aproximadamente 1,2 milhões de euros, até porque foi projectado para receber os efluentes do estabelecimento prisional que o anterior governo pretendeu construir na Herdade dos Gagos, a poucas centenas de metros do equipamento.

“Ainda não perdemos a esperança que o governo mude de ideias e construa aqui a prisão, que seria sem dúvida um pólo de desenvolvimento para toda esta região”, disse o presidente da Junta de Freguesia de Fazendas de Almeirim, Manuel Bastos Martins, que se disse “orgulhoso” por ter a oportunidade de inaugurar esta obra. “Hoje, é imprescindível que as populações tenham acesso ao saneamento básico e é isso que estamos aqui a garantir, com um equipamento que está preparado para o crescimento e desenvolvimento desta zona da freguesia”, afirmou o autarca.

131 milhões de investimentos entre 2008 e 2015

A empresa intermunicipal aproveitou ainda o dia para apresentar um plano de investimentos de cerca de 131 milhões de euros nos sete municípios que a compões, até 2015.

Depois de uma primeira fase concluída em Dezembro de 2011 em que investiu 43 milhões de euros nos sistemas de abastecimento de água e de saneamento básico, está em curso a segunda fase do plano, que prevê um investimento na ordem dos 42 milhões de euros até Dezembro deste ano, e que vai com uma taxa de execução de 35%.

A 3ª fase do plano de investimentos da Águas do Ribatejo, no valor de 29 milhões de euros, tem a sua conclusão prevista para o final de 2013, a que se somam 16 milhões de euros até 2015, em investimentos de menor dimensão.

Com este plano, a empresa propõe-se a assegurar uma taxa de cobertura de saneamento na ordem dos 90% até 2015, e a dispor de uma capacidade de reserva de água de 2 dias, o que significa mais do que o dobro da capacidade existente inicialmente.

Mais artigos...

PUB

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

Quem está Online?

Temos 690 visitantes e 0 membros em linha