PUB

chamusca ja te dou o arroz

PUB

insantarem

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) - com o apoio da União Europeia, que vai assumir, na íntegra, o financiamento do seguro - vai proteger a produção de 2012 de 150 viticultores da região.

O seguro colectivo de colheitas, no valor de 6,4 milhões de euros, é uma alternativa ao “Sistema integrado de protecção contra as aleatoriedades climáticas”, e liberta o Estado português dos encargos inerentes à operação.

Com o novo seguro colectivo de colheitas, a cobertura de riscos será mais abrangente e ajustada às necessidades dos produtores, sendo concedida total flexibilidade às relações contratuais entre estes e as empresas de seguros, com o objectivo de alcançar contratos mais ajustados às necessidades e condições de risco de cada produtor.

 “A negociação com a Comissão Europeia e a inclusão desta iniciativa no pacote da Organização Comum do Mercado Vitivinícola permite, em simultâneo, proporcionar uma considerável poupança ao Estado, bem como segurar 23 milhões de quilos de uva, o equivalente a 43% do que a região do Tejo produz anualmente”, refere José Pinto Gaspar, presidente da CVR Tejo.

A assinatura do seguro colectivo de colheitas terá lugar no dia 20 de Abril, sexta-feira, nas instalações da CVR Tejo, em Santarém, às 09h30 contará com a presença de José Diogo Albuquerque, Secretário de Estado da Agricultura, de Frederico Falcão, Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), de José Pinto Gaspar, Presidente da CVR Tejo e de Lino Afonso, da CA Seguros.

Os 68 vinhos inscritos no XXVIII concurso de vinhos do concelho do Cartaxo e XIII concurso de vinhos do Tejo “O Melhor Vinho na Produção” – colheita de 2011/2012 já foram apreciados e classificados pelo júri, que se reuniu no centro de promoção vitivinícola do Museu Rural e do Vinho.

Com 40 tintos e 28 brancos colocados à prova, o número de participantes é ligeiramente inferior ao do ano passado, mas o painel de enólogos sublinhou que o patamar de qualidade é bastante elevado.

 “Não atingimos os valores do ano passado, mas foi acima das previsões que tínhamos, porque no início a adesão estava a ser baixa. Acabou por superar as nossas expectativas a meio da recolha de amostras, dado o aumento significativo de adesões”, referiu Sérgio Oliveira, enólogo da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) e presidente do júri deste concurso que visa premiar os melhores néctares produzidos no concelho e na região do Tejo.

Os vencedores serão conhecidos e premiados durante a Festa do Vinho 2012, que decorre de 27 de Abril a 1 de Maio, no Cartaxo.

 “Temos um lote excelente de provadores, como tem sido habitual nos últimos anos, e todos eles afinaram por um padrão relativamente alto na avaliação dos vinhos”, continuou o enólogo, para quem é já hábito “colocar os vinhos da região e do concelho num patamar alto”.

O crescimento do sector, a conquista de novos mercados e os prémios conquistados no estrangeiro são para Sérgio Oliveira reveladores da excelência dos vinhos nacionais, em especial da região Tejo. “Esta é a região que mais se distinguiu ao nível do volume de vendas e que também subiu muito em termos de valor, para o mercado global, desde África, Escandinávia ou China”, salientou. 

Dois protocolos de cooperação com os estados de Brasília e Goiás e a criação de um grupo de trabalho entre a Nersant e os governos e associações empresariais é o saldo da missão empresarial que a Associação Empresarial da Região de Santarém promoveu ao Brasil.

A criação do grupo de trabalho, que servirá para o estreitamento das relações de cooperação, foi anunciado pelo deputado federal Francisco Junior e respondeu a um desafio lançado pela associação ribatejana.

“Acredito que a criatividade de Portugal e Brasil, baseada numa relação de confiança, não tem limites, e acredito que vai existir um sucesso prático, concreto”, afirmou Francisco Junior, que disse esperar um aumento do volume das exportações e importações com o distrito de Santarém.

Em Brasília, a comitiva foi recebida pelo Governo do Distrito Federal, “onde ficou patente a vontade de ambas as partes em estabelecer parcerias que permitam aumentar as trocas comerciais entre as duas regiões e o desenvolvimento das empresas”, adianta uma nota de imprensa da Nersant.

“Brasília é um lugar privilegiado para estabelecer parcerias e expandir negócios”, salientou Nilton Mendes, Secretário de Estado dos Assuntos Estratégicos do Distrito Federal brasileiro, antes da assinatura do protocolo de colaboração.

Em Goiás, os empresários do Ribatejo foram recebidos pelo governo estadual e diversas entidades ligadas à actividade empresarial, comercial e industrial. A iniciativa e os contactos estabelecidos resultaram num protocolo de cooperação empresarial “que promete desenvolver as trocas comerciais entre as duas regiões, sobretudo no sector agro-industrial”, explica a Nersant.

O Governo de Goiás aceitou a criação de uma parceria com o AgroCluster do Ribatejo, no sentido de contribuir para o desenvolvimento do sector agro-industrial do Estado de Goiás, promovendo a cooperação e a transferência de tecnologia e delineando uma estratégia de investimentos que visem potenciar a produção agrícola.

No sábado, a comitiva portuguesa teve a oportunidade de visitar a “Tecnoshow”, na cidade de Rio Verde, uma das maiores feiras agro-industriais do Brasil e da América do Sul.

Mais artigos...

PUB

PUB

Rede Regional

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

PUB

salvaterra jornadas cultura

PUB

Quem está Online?

Temos 260 visitantes e 0 membros em linha