Economia

Vários trabalhadores da Águas de Santarém concentraram-se esta sexta-feira, 20 de janeiro, nas oficinas da empresa exigindo explicações pelo facto de não lhes terem sido processadas as verbas de horas extraordinárias, ajudas de custo, piquetes e prevenções na folha de vencimento deste mês.

"Como não houve nenhum aviso nem nenhuma explicação, as pessoas ficaram revoltadas", disse à Rede Regional um dos funcionários, que exigiram a presença de alguém da administração para esclarecer o caso. Foi-lhes então transmitido que a falta de processamento das verbas se ficou a dever a um erro administrativo e que as mesmas irão ser pagas somente em Fevereiro.

"O problema é que há trabalhadores com salários muito baixos, que precisam desse dinheiro extra para sobreviver durante o mês", acrescentou a mesma fonte.

Os funcionários só abandonaram o local de trabalho pelas 20 horas, após terem reunido com um elemento da administração.