Economia


O projecto “Soul D’Aire”, elaborado por um grupo de alunos da Escola Profissional de Rio Maior (EPRM), recebeu a distinção de “melhor ideia empresarial” do EmpreEscola, um concurso promovido pela Nersant.

Diana Coelho, Salomé Batista, Cristiana Rosa, Diogo Batista, Tiago Martinho, João Faustino, Álvaro Umbelino e Chen Jingdong são os alunos que criaram um produto inovador que junta o sal produzido nas salinas de Rio Maior com as ervas aromáticas da Serra D’Aire e Candeeiros.

O facto de ser um produto 100% português e de utilizar dois recursos naturais abundantes na região (o sal e as ervas aromáticas) chamou a atenção do júri, que o premiou na sexta-feira, 8 de Junho, durante o Fórum do Empreendedorismo – Lezíria Empreende da Fersant, que decorre no Cnema, em Santarém, em paralelo com a Feira Nacional da Agricultura.

Para a comercialização do “Soul D’Aire”, os autores criaram também uma pequena embalagem original em forma de pirâmide, com um moinho incorporado. Para já, está prevista a sua utilização como flor de sal, mas também pode servir como mistura para tempero de carne, peixe ou saladas.

O produto, segundo salientaram os alunos durante a apresentação do projecto tem como pontos positivos o facto de poder ser comercializado em lojas gourmet, cada vez mais preferidas junto do público, e de se preocupar com a saúde, uma vez que terá uma percentagem maior de ervas aromáticas em detrimento do sal.

O projecto “SAI – Sistemas Ambientais Inteligentes”, da Escola Secundária do Cartaxo, e o “Next Reality”, da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado, em Santarém, foram consideradas as segunda e terceira melhores ideias empresariais.

A equipa “Spaghettini”, da Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, de Rio Maior, recebeu o prémio para a “ideia mais inovadora”, e a equipa “Elevatrónica”, da Escola Secundária Sá da Bandeira, em Santarém foi laureada com a distinção para o “melhor trabalho de equipa”.

No total, o EmpreEscola – que tem como objectivo fomentar o empreendedorismo entre os jovens do ensino secundário – contou com 25 projectos a concurso, que foram avaliados pelo seu potencial de mercado, viabilidade económica da empresa, inovação, criatividade e originalidade do produto ou serviço, grau de desenvolvimento do plano da empresa, qualidade da apresentação e trabalho de equipa. O júri foi composto por elementos da Nersant e da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo.

O Fórum do Empreendedorismo de sexta-feira contou também com a presença de cerca de 500 alunos do ensino básico de escolas da Lezíria do Tejo, numa sessão dedicada ao projecto EmpCriança, que também deram a conhecer as suas ideias de negócio.

No total, estes estudantes mais novos apresentaram 11 ideias de negócio, num projecto em que participaram 13 escolas de cinco concelhos, totalizando cerca de 500 alunos e 23 professores.