PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem

Economia


O Tecnopólo do Vale do Tejo (TagusValley) é uma das entidades que integra o Grupo Local de Suporte do “UrbanBiogas”, um projecto pioneiro que pretende preparar cinco cidades europeias para a produção de biogás a partir de resíduos sólidos.

Em Portugal, Abrantes é a cidade-piloto para acolher este projecto apoiado pelo programa “Energia Inteligente para a Europa” e dinamizado a nível local pela Câmara Municipal, pela Agência Regional de Energia e Ambiente do Médio Tejo e Pinhal Interior Sul (MédioTejo21) e pela IrRADIARE.

As restantes cidades europeias são Zagreb, na Croácia, Rzeszów, na Polónia, Graz, na Áustria, dValmiera, na Letónia.

O projecto, segundo uma nota de imprensa da TagusValley, visa “a produção de biometano a partir de resíduos sólidos urbanos, podendo ser utilizado para alimentar a rede de gás natural e opcionalmente para transportes”.

Adicionalmente, acrescenta a mesma nota, “o UrbanBiogas desenvolve boas práticas nas várias regiões para uma melhor gestão e aproveitamento de resíduos de modo a que a produção deste vector energético renovável integre o mercado da energia”.

O Grupo Local de Suporte já efectuou visitas técnicas ao sistema de aproveitamento energético de Biogás da VALNOR, em Concavada (Abrantes), à central de valorização orgânica de resíduos sólidos urbanos biodegradáveis e ao aterro sanitário em exploração com captação de biogás da Valorlis, em Leiria, e tem registado uma boa adesão por parte de empresas já contactadas.

O “projecto surgiu em 1 de Maio de 2011 e pretende que, em 2020, 70% dos actuais resíduos orgânicos urbanos inexplorados sejam valorizados em termos energéticos quer para alimentar a rede de gás natural quer para os transportes, prevendo-se uma estimativa de investimento de 17 milhões de euros nas cinco regiões-piloto abrangidas”, explica ainda a nota da TagusValley.



PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 1361 visitantes e 0 membros em linha