Economia

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) - com o apoio da União Europeia, que vai assumir, na íntegra, o financiamento do seguro - vai proteger a produção de 2012 de 150 viticultores da região.

O seguro colectivo de colheitas, no valor de 6,4 milhões de euros, é uma alternativa ao “Sistema integrado de protecção contra as aleatoriedades climáticas”, e liberta o Estado português dos encargos inerentes à operação.

Com o novo seguro colectivo de colheitas, a cobertura de riscos será mais abrangente e ajustada às necessidades dos produtores, sendo concedida total flexibilidade às relações contratuais entre estes e as empresas de seguros, com o objectivo de alcançar contratos mais ajustados às necessidades e condições de risco de cada produtor.

 “A negociação com a Comissão Europeia e a inclusão desta iniciativa no pacote da Organização Comum do Mercado Vitivinícola permite, em simultâneo, proporcionar uma considerável poupança ao Estado, bem como segurar 23 milhões de quilos de uva, o equivalente a 43% do que a região do Tejo produz anualmente”, refere José Pinto Gaspar, presidente da CVR Tejo.

A assinatura do seguro colectivo de colheitas terá lugar no dia 20 de Abril, sexta-feira, nas instalações da CVR Tejo, em Santarém, às 09h30 contará com a presença de José Diogo Albuquerque, Secretário de Estado da Agricultura, de Frederico Falcão, Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), de José Pinto Gaspar, Presidente da CVR Tejo e de Lino Afonso, da CA Seguros.