Depois de ter anunciado a redução de várias taxas e serviços cobrados aos clubes, o presidente da Associação de Futebol de Santarém (AFS) admitiu esta segunda-feira, 25 de maio, que, ao longo da época, e dependendo da evolução da situação pandémica, poderão existir novos apoios, eventualmente recorrendo a uma linha de crédito com a federação.

Slide thumbnail

Em resposta a uma pergunta da Rede Regional, Francisco Jerónimo explicou que para já era necessária uma intervenção de emergência, o que se concretizou na redução de 100% da quota de filiação, na redução da quota de inscrição de jogadores em 30%, o mesmo acontecendo com a quota de inscrição nas diversas provas e com a quota de emissão de cartões de jogadores, bem como com o apoio de 27,5% nos prémios de seguro dos atletas e dirigentes (contratados em 2019/20 via AFS).

Este apoio, que tendo em conta os 9.000 atletas inscritos esta época poderá custar cerca de 100 mil euros aos cofres da associação (conseguido através de uma linha de crédito da Federação), junta-se ao programa de apoio à modernização de infraestruturas e à aquisição de computadores, que continuam em vigor e com adesão “relevante” por parte dos clubes.

Relativamente ao facto de os clubes estarem obrigados a terem a sua situação financeira regularizada com a AFS para poderem aceder aos apoios agora anunciados, Francisco Jerónimo é perentório que não pode haver exceções, embora admita que, como habitualmente, os clubes possam fazer planos de pagamento até final do ano.

No que diz respeito à formação, Francisco Jerónimo diz que esta não é a melhor altura para avançar com novos modelos competitivos, mas confirmou que o futebol de 9 vai mesmo avançar.

FUTSAL TEM REUNIÃO DECISIVA ESTA QUARTA-FEIRA

Se o futebol tem a próxima época praticamente definida, no futsal há ainda muito por decidir, incluindo no que se refere a subidas e descidas. Esta quarta-feira, 27 de maio, haverá uma reunião decisiva entre a Federação e as associações distritais, onde deverão ser decididas as principais questões em aberto.

A situação do Ferreira do Zêzere, que quando o campeonato foi terminado liderava a sua série da segunda divisão e estava em posição de subir à primeira divisão, é a mais indefinida, mas Francisco Jerónimo acredita que a formação ferreirense vai mesmo subir de divisão.

“Não percebo porque é que há critérios diferentes. O futsal tem de ser tratado da mesma maneira que o Campeonato de Portugal. O Ferreiro do Zêzere é a equipa da segundo divisão com mais pontos e só posso acreditar que seja feita justiça e seja a primeira equipa da região na primeira divisão”, reforçou.

Só depois de se conhecerem as decisões desta reunião será decidida a situação dos campeonatos distritais, tendo o presidente da associação prometido que, após a decisão da FPF irá ouvir os clubes distritais.