Um jovem de 23 anos, residente em Vila Nova da Barquinha, desmaiou ao ver uma das cenas do filme “Twilight: Amanhecer - Parte 1”, e teve de ser assistido em plena sala de cinema no Torres Shopping, em Torres Novas.

O caso aconteceu na quarta-feira, 23 de novembro, quando Leandro Silva estava a ver o novo filme da saga Twilight e exactamente durante a mesma cena que supostamente causou um ataque epiléptico num espectador nos Estados Unidos.
Em declarações à TVI 24, o jovem bancário contou que estava a ver o filme acompanhado da namorada quando, na cena do parto de Bella Swan, que inclui vários flashes e imagens graficamente explícitas, começou a sentir náuseas e acabou por perder os sentidos durante cerca de cinco minutos.
“Era uma cena em que a personagem estava desmaiada e estavam a tentar reanimá-la. E parecia que eu estava a viver exactamente aquilo. De um momento para o outro, estava exactamente na mesma situação em que ela estava. E foi nesse momento em que comecei a sentir-me mal. A sensação foi a de querer vomitar, parecia que tinha um nó no estômago. Esta sensação durou um minuto, nem tanto. Depois só me lembro de já estar deitado no chão do cinema, com o filme parado”, recordou Leandro citado pela mesma fonte.

Desmaiado de olhos abertos e após ter sofrido alguns espasmos, o jovem foi socorrido por um bombeiro e uma enfermeira que também assistiam ao filme e, já consciente, foi transportado pelo INEM para o hospital de Torres Novas, onde passou a noite internado para a realização de vários exames, mas não foi detetado nada irregular.
Ainda à Tvi 24, Leandro Silva contou que ficou arrepiado ao ler a notícia de um caso semelhante nos Estados Unidos e confessa que está preocupado pelo facto de não existir qualquer aviso nos cinemas para os espectadores mais sensíveis.

“Tenho 23 anos, sou uma pessoa que pratica desporto, supostamente saudável em termos cardíacos, sem antecedentes de desmaios, e isto aconteceu-me a mim. Se fosse uma pessoa que sofre do coração, uma pessoa de mais idade ou uma criança, se calhar as coisas até podiam não ficar só pelo desmaio e podiam complicar-se mais”, concluiu Leandro, que, pelo menos até perceber realmente as razões do desmaio, não voltará a uma sala de cinema.