Um ano depois de ter apresentado a Missa em Dó de Beethoven, o Coral Sinfónico de Portugal (CSP) regressa ao Teatro Virgínia, em Torres Novas, para apresentar uma gala de ópera no domingo, 13 de Maio, pelas 17 horas.

Os músicos e coralistas sobem ao palco para interpretar algumas das mais belas músicas clássicas do bel-canto dos mais conceituados compositores de ópera, em particular pelas partituras de grandes compositores do século XIX oriundos de Itália, Alemanha, França e Rússia.

“Verdi e a sua vertente clássica da ópera fazem as honras da casa com excertos de Nabucco e Aida, o realismo de Puccini revela-se numa peça de Madame Butterfly”, adianta uma nota de imprensa do CSP, onde o grupo acrescenta que se segue “o ritmo contagiante de Carmen de Bizet, o dramatismo de Fausto de Gounod, a ópera romântica de Wagner e a graciosidade e energia sugeridas por coro e orquestra nas Danças Polovtsianas de Borodin”.

Esta gala de ópera, que conta com a participação especial do Coro Juvenil do Choral Phydellius, realiza-se sob a direcção artística de Saraswati.

Criado em Torres Novas em 1991, o Coral Sinfónico de Portugal reúne coralistas de diferentes geografias, culturas, idades e níveis musicais, sendo composto por cantores de diferentes zonas do país, em especial da zona centro.

Segundo o mesmo documento, o CSP, que ensaia na Quinta Vishudda, reúne neste momento cantores oriundos de Abrantes, Alcanena, Alhos Vedros, Alpiarça, Barreiro, Caldas da Rainha, Cascais, Chamusca, Coimbra, Dornes, Entroncamento, Estoril, Fátima, Fernão Ferro, Golegã, Leiria, Linda-a-Velha, Lisboa, Loures, Minde, Mira de Aire, Miraflores, Oeiras, Ourém, Paço d’Arcos, Riachos, S. Domingos de Rana, Santarém, Seixal, Setúbal, Sintra, Tomar, Torres Novas e Vila Nova de Barquinha.