“Rexistir” é o nome do livro que Santana-Maia Leonardo, advogado e vereador do PSD na Câmara Municipal de Abrantes, vai lançar no próximo dia 25 de Maio, às 21h30, na biblioteca municipal António Botto, em Abrantes.

A apresentação da obra, que reúne textos em prosa e em poesia, e a coordenação da sessão vai estar a cargo do escritor Ângelo Rodrigues, estando também previstas intervenções de Francisco Lopes, Eurico Heitor Consciência e do juiz conselheiro José Mesquita, que vai ler três poemas.

“Este não é um livro de poesia, mas um manifesto de quem não subscreve o mundo em que vive e contra a geração que, em Maio de 68, escrevia nas paredes de Paris «a imaginação ao poder» e que hoje, no poder, sem imaginação, vai corroendo e consumindo, um a um, todos os valores que herdámos dos nossos pais e dos nossos avós, a nossa cultura, a nossa pátria e a nossa alma, com a mesma persistência com que o eucalipto desertifica o solo arável”, afirma acerca da obra o próprio autor, que se define nem como escritor nem como poeta.

“Sou um alfaiate de província que, sem freguesia, teima em coser e em resistir com as suas linhas à tirania arrogante e insolente da alta-costura do pensamento”, escreve Santana-Maia Leonardo.