chamusca appmicromineiro slide

Sociedade

macao geral

Uma das três frentes do fogo que continua a dominar as atenções dos bombeiros na zona de Mação pdoerá atingir a sede de concelho nas próximas horas, uma situação "extremamente preocupante", apontada esta manhã pelo vice-presidente da autarquia, António Louro.

Em declarações citadas pela agência Lusa, o autarca diz que a madrugada "não ajudou o suficiente" no combate às chamas, mantendo-se três frentes que lavram em Mação, ameaçando a sede de concelho e as aldeias de Santos, Aldeia de Eiras, Castelo e São José das Matas,.

As frentes de incêndio continuam "bastante perigosas e bastante significativas em comprimento", sendo que num concelho com 122 aldeias, "há sempre uma ou duas" que acabam por estar em risco. No caso da vila, as chamas estão a cerca de um quilómetro em linha reta.

Segundo o autarca, os meios necessários "finalmente chegaram", apesar de considerar que "é evidente" que os reforços chegaram demasiado tarde.

Segundo a última contagem, havia cerca de 1.100 operacionais a combaterem o incêndio que começou domingo na Sertã e que se estendeu a Proença à Nova e Mação.

ultima hora

A GNR de Alpiarça deteve esta terça-feira, 25 de julho, um homem de 27 anos, suspeito de ter morto padrasto, que foi encontrado sem vida na via pública, mais concretamente na avenida Carlos Relvas, situada naquela vila.

Os militares foram chamados pelos populares, cerca das 20h00, tendo encontrado o homem, de 56 anos, já cadáver.

A guarda iniciou de imediato várias diligências para identificar o autor do crime, tendo detido o enteado da vítima que, segundo foi possível apurar junto de fonte da guarda, já teria cumprido tempo de prisão por outros crimes.

A GNR está a tentar recolher provas materiais e testemunhais e aguarda a chegada da Polícia Judiciária, que deverá tomar conta da ocorrência.

EM ATUALIZAÇÃO

incendio macao

O presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela, anunciou esta terça-feira, 25 de julho, ao final da tarde, que já arderam 12 casas, algumas de primeira habitação no concelho, onde desde ontem já foram evacuadas cerca de 200 pessoas.

"Contam-se duas habitações permanentes ardidas na aldeia de Frei João, freguesia de Carvoeiro, além das restantes cinco já reportadas anteriormente e mais cinco agora em Envendos", disse o autarca, em declarações à agência Lusa.

"É uma situação inimaginável que não se previa que pudesse acontecer", descreveu Vasco Estrela, avançando que, em termos de danos materiais, os prejuízos continuam a aumentar a toda a hora.

"Vamos ver como é que é possível tentar defender essas pessoas e localidades, tirando essas pessoas das aldeias para evitar que haja dramas humanos ou situações como a que se está a verificar em Envendos, onde já arderam hoje várias casas [algumas de primeira habitação]; ver concretamente o que aconteceu, para tentarmos perceber como é que podemos aliviar esse problema", afirmou, contabilizando um total de 10 mil hectares de área ardida desde domingo no concelho.

"São estes levantamentos que terão de ser feitos agora à medida que o tempo for passando e que seja possível entrar nas localidades, falar com as pessoas e perceber em concreto os danos causados", explicou.

O fogo que lavra em Mação continua numa situação muito preocupante, com vento muito forte, aldeias em perigo e casas a arder, estando no local o Presidente da República e o secretário de Estado da Administração Interna no local.

Marcelo Rebelo de Sousa, chegou cerca das 21h30 ao posto de comando da proteção civil em Mação, para se inteirar sobre a evolução do incêndio. Uma hora antes tinha chegado o secretário de Estado, Jorge Gomes, que já afirmou que o incêndio de Mação se tem desenvolvido "de uma forma anormal, a uma velocidade muito grande, que o sistema não conseguiu acompanhar".

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões