chamusca natalmicromineiro slide

Sociedade

abrantesmouriscastapetesceiras

O projeto “Esparteiros: Artes de Entrelaçar” foi um dos vencedores da 3ª edição do programa “Tradições 2018/2020”, promovido pela EDP, e cujos prémios foram entregues no Complexo da Levada, em Tomar.

O projeto, apresentado pela Câmara de Abrantes, “pretende fazer o levantamento da história da atividade artesanal ligada às técnicas de produção em esparto, em Mouriscas”, tanto das seiras e capachos usados nos lagares de azeite tradicionais”, segundo explica uma nota de imprensa da autarquia, que quer registar esta arte em suporte escrito e em vídeo.

O programa “Tradições” recebeu 67 candidaturas de municípios onde a EDP tem centros produtores de energia, tendo sido nove aprovados, num apoio de 250 mil euros a repartir pelos vencedores.

O projeto vai promover a formação ao nível das técnicas da produção tradicional em esparto, em articulação com o Grupo Etnográfico “Os Esparteiros”, a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural (EPDRA) e o Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA).

“Esta capacitação de jovens, alguns dos quais com necessidades especiais, garantirá a salvaguarda e continuidade desta arte tradicional”, explica a mesma nota da Câmara de Abrantes, que acrescenta que, “posteriormente, será realizada divulgação junto da comunidade, tornando-se esta prática tradicional um ícone da cultura popular do concelho, através da apresentação da produção ao vivo em feiras e outros eventos, bem como junto da comunidade escolar”.

ana simao

A escritora Ana Simão, autora dos livros “a Menina dos Ossos de Cristal”, “Naquela Ilha” e também das “Cartas que Trocámos”, sob o tema deficiência e inclusão social, vai estar esta sexta-feira, 7 de dezembro, às 12 horas, na Escola Mestre Martins Correia na Golegã, para uma palestra promovida pela candidatura da Lista S à associação de estudantes daquele estabelecimento de ensino.

Natural de Santarém, Ana Simão é licenciada em Gestão de Recursos Humanos com uma pós-graduação em Gestão de Projetos em Parceria pelo ISCTE – IUL, e tem uma doença rara, Osteogénese Imperfeita (OI), vulgarmente conhecida como a doença dos ossos de vidro ou de cristal.

Foi a doença que a trouxe à escrita, onde os temas ligados à consciência das diferenças e da inclusão social e igualdade é uma marca diferenciadora. 

IMAGEM DE ARQUIVO / ILUSTRATIVA

A GNR deteve esta semana um grupo suspeito de ser o autor de vários furtos de máquinas de tabaco e artigos religiosos em cemitérios, nos concelhos de Torres Vedras, Lourinhã, Cadaval, Alenquer e Santarém.

As detenções foram o ponto final de uma investigação que decorria há cerca de seis meses e que permitiu concluir que o grupo atuava de forma organizada e adotava como procedimento a pré-seleção dos estabelecimentos comerciais, arrombando as portas e levando as máquinas de tabaco e outros artigos e equipamentos, que depois desmantelavam e vendiam.

Segundo a GNR, foram efetuadas 14 buscas, onde foram apreendidos 84 maços de tabaco, sete armas de fogo e uma faca, um bastão extensível, nove televisores, 12 botijas de gás, três ‘tablets’, um computador portátil, duas consolas de jogos, um ciclomotor, 19 telemóveis, uma máquina fotográfica, vários eletrodomésticos, diversas ferramentas elétricas utilizadas na prática dos furtos e 1.810 euros em numerário.

Além das máquinas de tabaco, o grupo, formado por dois homens e uma mulher, entre os 25 e os 59 anos, é ainda suspeito de se dedicar a furtos de artigos religiosos em cemitérios, tendo sido igualmente apreendidas dezenas de figuras religiosas e de ornamentação.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves