chamusca carmen theobanner-cortes-e-lendas

Sociedade

gnr idosos

O Comando Distrital de Santarém da GNR revelou esta terça-feira, 18 de abril, os resultados do “Censos Sénior” 2017, realizado ao longo do mês de março nos 21 concelhos do distrito de Santarém, com o objetivo de identificar a população idosa que vive sozinha e/ou isolada.

O estudo deste ano, que atualizou os registos das edições anteriores e identificou novas situações, detetou que 1.642 vivem sozinhos, 271 vivem isolados, e 215 vivem sozinhos e isolados.

Os números de 2017 apontam para um acréscimo de mais 50 casos que em 2016, ano em que os militares sinalizaram um total de 2.078 situações de idosos nestas condições

Além destes números, os militares identificaram ainda outras 68 situações que não se enquadram nas situações anteriores, mas em situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas.

Durante a operação foram ainda realizadas diversas ações de sensibilização para que esta população adote comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, com especial enfoque na divulgação de conselhos de segurança relativamente à entrada em circulação no dia de hoje, 4 de abril, da nova nota de 50 euros, da série “Europa”.

As situações de maior vulnerabilidade foram reportadas às entidades competentes, sobretudo de apoio social, no sentido de fazer o seu acompanhamento futuro.

"A GNR continuará, ao longo do ano, a acompanhar os idosos sinalizados, através de visitas regulares às suas residências, no sentido de realizar mais ações de sensibilização e fazer uma avaliação da sua segurança", refere uma nota de imprensa do comando de Santarém.

Conheça os números concelho a concelho:

gnr censos2017

salvaterrajulgamentovidentes

A Procuradora do Ministério Público (MP) do Tribunal de Santarém pediu a condenação efetiva de um casal de falsos videntes que terão burlado uma mulher em cerca de 32 mil euros, aproveitando-se de um desgosto amoroso que a vítima tinha sofrido há pouco tempo.

A arguida, Sandra L., de 39 anos, está a responder por um crime de burla qualificada, ao passo que o marido, Filipe P., de 34 anos, está acusado de recetação dolosa, por se ter aproveitado das verbas que ambos extorquiram à queixosa.

Nas alegações finais do processo, que decorreram esta quarta-feira, 19 de abril, o MP salientou que todos os factos constantes do despacho de acusação foram dados como provados durante o julgamento.

O caso remonta a agosto de 2010, quando a vítima, uma mulher de 39 anos residente no concelho da Chamusca, ficou psicologicamente de rastos após ter terminado um relacionamento de oito anos.

Em desespero, a mulher procurou então os serviços da alegada bruxa, que os publicitava em jornais e em sites na Internet.

Para o MP, ficou claro que a arguida e o marido criaram uma “falsa amizade” com a mulher, com o propósito de lhe extorquir o dinheiro que conseguissem em troca da quebra de um suposto bruxedo que levou à separação, de rezas e da celebração de rituais com velas, para que o ex-companheiro regressasse a casa.

Em apenas três meses, e num estado de “colapso emocional”, a vítima entregou cerca de 32 mil euros ao casal de videntes, esgotando as suas economias e o plafond dos seus cartões de crédito, a que se somam outras quantias pedidas aos pais e a amigos.

A arguida tem duas condenações anteriores pelo mesmo tipo de crimes, em processos cujos recursos ainda estão a ser apreciados por tribunais superiores.

almeirimbenficaenguia

“A enguia não é toda igual” será o mote da II quinzena da enguia de Benfica do Ribatejo, vila no concelho de Almeirim que estará de mesa posta com este peixe do rio entre os dias 21 de abril e 7 de maio.

Enguia frita, de caldeirada, grelhada ou ensopada de enguia são algumas das propostas dos restaurantes aderentes ao certame gastronómico, alguns deles bastante conhecidos na região da Lezíria do Ribatejo pela confeção destes pratos.

São “verdadeiros bastiões da cozinha tradicional portuguesa”, destacou Cândida Lopes, a presidente da Junta de Freguesia de Benfica do Ribatejo durante a apresentação desta iniciativa.

O festival da enguia pretende “reforçar a visibilidade de Benfica do Ribatejo, estimular e fomentar o tecido económico e turístico do concelho”, explicou a autarca local, acrescentando que o objetivo também passa por “fidelizar os adeptos do turismo gastronómico”.

“A gastronomia tem cada vez maior importância na nossa economia”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Almeirim, para quem é fundamental a sua promoção fora da região.

Pedro Ribeiro lembrou que este certame gastronómico passou de uma semana na sua edição inaugural, o ano passado, para um quinzena, no atual formato, e que serve para “divulgar aquilo que já se faz de bem nesta freguesia”.

“Os restaurantes que participam têm enguia todo o ano”, lembrou o autarca, acrescentando que “o que estamos a fazer é lembrar às pessoas que, se querem comer enguia, devem vir a Benfica do Ribatejo”.

Balonismo em Coruche - Fotos João Dinis