app chamuscamicromineiro slide

alpiarcagoncalonevestofu

O acidente de viação que deixou Gonçalo Neves, um jovem residente em Alpiarça, com danos cerebrais profundos vai ser julgado em processo-crime.

O motorista do pesado de mercadorias que colidiu com o carro onde seguia o militar do Exército Português está acusado pelo crime de condução perigosa, agravada pelo resultado ofensa à integridade física grave, segundo a decisão instrutória que foi lida no início de julho no Tribunal de Santarém.

Apesar de ter ido residir e trabalhar num país estrangeiro após o sinistro, o arguido está sujeito a termo de identidade e residência.

Para a família de Gonçalo Neves, conhecido entre os amigos por "Tofu", esta é "uma primeira vitória" de um processo que se antevê ainda longo.

"Estamos finalmente a ver o início do funcionamento da justiça depois de um momento negro, que foi o arquivamento do processo após a fase de inquérito", disse à Rede Regional Sandra Martins, a mãe de Gonçalo Neves, acrescentando que foi a família quem pediu a abertura da instrução.

"Para já, não podemos deitar cá para fora tudo o que nos vai na alma, mas isso será revelado no local indicado, o tribunal", desabafou a mãe do jovem, que aguarda agora pela marcação da data do julgamento.

Recorde-se que o acidente de viação ocorreu em Setembro de 2011, em Vila Chã de Ourique, concelho do Cartaxo, quando o jovem tinha 20 anos de idade.

Gonçalo Neves sofreu um traumatismo crânio encefálico (TCE) que o deixou inicialmente num estado vegetativo, mas o seu estado de saúde tem vindo a melhorar gradualmente graças à luta da família, que se recusou a acreditar que os danos cerebrais eram irreversíveis, como lhes foi transmitido pelos médicos do Serviço Nacional de Saúde que acompanharam o jovem nos primeiros meses após o sinistro.

A família reside há cerca de 10 meses em Santiago de Compostela, Espanha, onde Gonçalo Neves está a ser seguido numa das clínicas mais avançadas do mundo no tratamento de lesões neurológicas.

Segundo Sandra Martins, a evolução favorável do estado clínico do filho é uma "evidência".

"O Gonçalo mostra uma grande evolução a nível emocional, pois já reage assim que ouve a voz de familiares. Sabemos que a parte física será mais complicada, mas notamos que já faz alguns movimentos voluntários", explica a mãe.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis