chamusca princepezinhocms banner carnaval

acidente ic10 carbonizado

A quadra natalícia está a ser trágica nas estradas do distrito de Santarém onde, desde sexta-feira, já morreram 4 pessoas.

O primeiro caso ocorreu na madrugada de sexta-feira, dia 21, onde morreram duas mulheres de 31 anos, vítimas do despiste de um veículo ligeiro de passageiros ocorrido no IC10, à saída da Ponte Salgueiro Maia em direção a Santarém.

Inicialmente as autoridades avançaram que as vítimas seriam Patrícia Patrício, de 31 anos, funcionária do CRIAL, de Almeirim, e o filho, com cerca de 10 anos, mas o menino apareceria com vida já durante a manhã e a GNR suspeita agora que a segunda vítima seja Diana Ferreira, também residente no concelho de Almeirim.

No sábado, dia 22, a tragédia bateu à porta do ex-autarca e empresário Mário Januário, de 49 anos, ligado à empresa de transportes “Táxis Almansor, Lda”, que morreu num despiste de mota ocorrido cercana EN 118-1 (Benavente- Santo Estêvão), junto da Herdade do conhecido ganadeiro José Dias, em Benavente.

Já este domingo, dia 23, um homem de 60 anos morreu a menos de 500 metros de casa, na sequência do despiste do trator que conduzia na aldeia de Alfouvés, no concelho de Rio Maior.

A vítima mortal, Isaías Tainha, tinha acabado de sair da sua residência com um amigo para ir limpar oliveiras, quando o veículo agrícola saiu da estrada e acabou por ficar capotado num valado com perto de dois metros de altura.

Números que dão que pensar, sobretudo nesta época de Natal, em que a GNR já contabilizou, desde sexta-feira, 12 vítimas mortais e 21 feridos.

A GNR aconselha os condutores a fazerem um planeamento cuidado das viagens, evitando os períodos do final do dia, quando se prevê maior intensidade de tráfego, a descansarem antes de efetuar a viagem e a, pelo menos de duas em duas horas, ou sempre que necessário, pararem e descansarem.

É também recomendado aos condutores que adequem a velocidade às condições climatéricas, ao estado da via e volume de tráfego, que mantenham a calma em situações de elevada intensidade de tráfego e que evitem manobras que possam resultar em embaraço para o trânsito ou contribuir para a ocorrência de acidentes.

Por fim, a GNR pede moderação no consumo de álcool e ainda a adoção de uma condução atenta e defensiva.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves