chamusca natalmicromineiro slide

vespa asiatica

A vespa asiática, ou vespa velutina, uma espécie invasora predadora da abelha europeia, a mais comum em todo o Continente, está a propagar-se pela região centro do país, já com ninhos identificados em todo o norte do distrito de Santarém, e alguns mesmo em concelhos mais a sul, como Rio Maior e Santarém.

A descoberta de ninhos aumenta a um ritmo preocupante e cada vez mais frequente, uma situação confirmada à agência Lusa pelo Comandante Operacional Distrital (CODIS) de Santarém, Mário Silvestre, que apela à população para, no caso de avistar um ninho de vespa velutina, avisar os serviços competentes e não tentar, em qualquer circunstância, destruir o ninho pelos seus próprios meios.

Mário Silvestre explica que a proteção civil faz o acompanhamento e monitorização dos ninhos detetados e da sua fase de remoção e destruição, em articulação com os municípios.

Os especialistas estimam que cada ninho de vespas asiáticas possa comer meio quilo de abelhas autóctones por dia.

A Lusa dá conta de ninhos de grandes dimensões recente descobertos na Barquinha e no Sardoal. Cada ninho pode conter até três mil vespas, onde podem sair 150 novas rainhas.

No caso do Sardoal, o comandante dos bombeiros locais, Nuno Morgado, relatou à Lusa a remoção esta semana de dois ninhos de vespa velutina, um no beirado de um telhado em casa de habitação, em Andreus, um outro, em Rosa Mana, Alcaravela, no alto de um pinheiro com cerca de 18 metros de altura.

"Era um ninho impressionante, com cerca de um metro de altura e um raio de 60 centímetros", disse o responsável.

A introdução involuntária da vespa velutina na Europa ocorreu em 2004 no território francês, tendo a sua presença sido confirmada em Espanha em 2010, em Portugal e Bélgica em 2011 e em Itália em finais de 2012.

Comentários   

 
0 #1 Amilton Brito 19-11-2018 17:33
Mais como pode uma abelha de um continente asiático chegar por aqui. Devem tomar providências urgentes ! Antes que vire praga,e acabe com as colónias de abelhas europeias,destr uindo o mesmo é evidente o mel. Começando por destruir as colónias das abelhas asiáticas.
Citar
 

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves