chamusca natalmicromineiro slide

gnrsergiomalacao

O ex-comandante do posto da GNR de Coruche, primeiro sargento Sérgio Malacão, foi condenado a oito anos de prisão efetiva, por factos cometidos entre 2010 e 2012, no exercício das suas funções.

O Tribunal de Santarém considerou o militar culpado de 10 dos 11 crimes que constavam da Acusação do Ministério Público (MP), entre os quais estão abuso de poder, corrupção passiva para ato ilícito, denegação justiça, coação e até denuncia caluniosa, esta última cometida sobre o então Comandante Territorial da GNR de Santarém, o coronel Corte-Real Figueiredo.

Contatado pela Rede Regional, Sérgio Malacão, que foi também comandante do posto da GNR de Alpiarça, garantiu que vai apresentar recurso da decisão, reafirmando a sua inocência.

Durante as audiências de julgamento, a defesa do militar pediu a extração de certidões dos depoimentos prestados por várias testemunhas, alegando que estavam a “faltar à verdade”, numa “cabala” para o afastar da GNR.

No entanto, o coletivo de juízes deu como provados quase todos os factos constantes da acusação, onde o MP sustentava que o sargento, de 46 anos, exerceu funções sem respeitar deveres e fomentou uma cultura de despotismo e discricionariedade junto dos seus subordinados, motivado apenas pela ostentação do poder.

No relacionamento com civis, assumiu comportamentos prepotentes, e forjou provas e autos de contraordenação, considerou o tribunal, que determinou ainda uma pena acessória de quatro anos sem poder exercer funções na GNR.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves