chamusca ehtoiromicromineiro slide

abrantesprofessoresfaqueado03

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, por suspeitas de homicídio qualificado, a mulher do professor de matemática que foi assassinado em Chainça, nos arredores de Abrantes, na noite desta quinta-feira, 16 de agosto.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria explica que a mulher, de 43 anos e também professora do 1º ciclo, é suspeita de ter usado “uma faca de cozinha e um martelo” para desferir “múltiplos e dispersos golpes em zonas vitais, causadores da morte da vítima”.

O homem, José Duarte, de 51 anos e professor na Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, morreu depois de telefonar para o 112, por volta das 21h30, a pedir ajuda, tendo os Bombeiros Voluntários de Abrantes encontrado o homem com um golpe de arma branca profundo na carótida, na residência do casal.

A vítima acabou por não resistir aos ferimentos, tendo o óbito sido declarado no local.

Inicialmente, supôs-se que José Duarte tinha sido esfaqueado na sequência de uma tentativa de assalto, mas rapidamente a PSP de Abrantes e os inspetores da PJ despistaram esta hipótese por não existirem sinais de roubo ou furto.

O crime ocorreu na vivenda onde o casal residia há vários anos, com dois filhos menores, de 11 e 14 anos.

A detida vai ainda ser presente às autoridades judiciárias competentes, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis