chamusca appcoruche ficor

O Tribunal de Santarém condenou esta segunda-feira, 14 de maio, um homem detido em Santarém, em Novembro de 2017, por tráfico de estupefacientes, a seis anos e meio de prisão efetiva.

No acórdão, proferido no Juízo Central Criminal de Santarém, a acusação deduzida pelo Ministério Publico foi julgada parcialmente procedente, e o indivíduo fica a aguardar o trânsito em julgado em prisão preventiva.

No mesmo julgamento, uma mulher, que estava acusada do mesmo crime, foi absolvida, por não se ter provado a sua colaboração na venda do produto estupefaciente, neste caso cocaína.

O caso remonta a 11 de novembro de 2017, quando os dois suspeitos foram detidos pela PSP de Santarém, fortemente indiciados por tráfico de estupefacientes e posse de arma ilegal.

Na altura, após o primeiro interrogatório judicial, o juiz decidiu aplicar prisão preventiva ao arguido do sexo masculino, o qual já havia cumprido uma pena de 4 anos de prisão por idêntico crime.

Quanto à arguida, por ser primária, o tribunal entendeu que deveria aguardar os ulteriores termos do processo sujeita a apresentações periódicas (à quarta-feira e sábado) no posto policial da área da sua residência, ficando impedida de contactar por qualquer meio com indivíduos referenciados como traficantes de droga ou consumidores.

As detenções ocorreram no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP de Santarém, e coadjuvado pela PSP de Santarém, onde se investigam suspeitas de tráfico de estupefacientes, tendo sido realizadas buscas e apreendidos 5,63 gramas de cocaína (aproximadamente 28 doses diárias), um bastão extensível, cerca de 700 euros em dinheiro, dois telemóveis, um veículo automóvel, um computador e outros objetos relacionados com o acondicionamento de droga.

Inauguração Sabores do Toiro Bravo, em Coruche - fotos João Dinis