chamusca appelgalego natal2017

A mulher suspeita de no dia 3 de outubro ter incendiado a mota do namorado, em Santarém, vai ficar em casa, sujeita a vigilância com pulseira eletrónica.

Segundo a Procuradoria de Santarém, a mulher, "fortemente indiciada" da prática de um crime de incêndio, já foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de obrigação de permanência na habitação com vigilância electrónica apenas com a possibilidade de se deslocar para o emprego.

O Ministério Público e o Juiz consideraram "verificados os perigos de continuação da atividade criminosa e de alarme social, visto que os factos aconteceram no bairro do Choupal em Santarém e foram do conhecimento geral dos habitantes daquele bairro".

A suspeita, de 51 anos, ficou igualmente proibida de contactar com o companheiro.

"O veículo estava estacionado junto a uma habitação à qual se propagaram as chamas, colocando em perigo as pessoas que se encontravam no interior da casa. A ação dos bombeiros, no entanto, permitiu extinguir as chamas sem que as mesmas tenham causado quaisquer ferimentos", conclui a procuradoria.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

PJ detém mulher suspeita de incendiar mota do companheiro em Santarém

Mota incendeia-se e pega fogo a casa

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis