chamusca baguncadabanner tasquinhas2017

santaremtribunalfachada

O Tribunal de Santarém vai começar a julgar uma mulher que está acusada de um crime de maus tratos cometidos sobre o próprio filho, que deu entrada em risco de vida no hospital quando tinha apenas 14 meses.

O caso remonta a 10 de outubro de 2010, data em que a criança foi transportada ao Serviço de Urgência já em coma profundo e com várias fraturas e lesões na face, entre outras equimoses.

A vida do bebé foi salva graças a craniectomia realizada na UCI pediátrica do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para onde foi transportado entre a vida e a morte.

Segundo a versão da mãe e do padrasto, o pequeno teria caído de uma cama para o chão do quarto, mas esta explicação andou longe de convencer o Ministério Público (MP).

Segundo o despacho de acusação, a que a Rede Regional teve acesso, as lesões que o bebé apresentava não são compatíveis com uma queda acidental de uma altura de 60 centímetros, como relataram mãe e namorado.

O MP acrescenta que a criança apresentava sinais caraterísticos da síndrome do bebé sacudido, e que foi molestado fisicamente e sujeito a comportamentos negligentes.

O caso ocorreu em Asseiceira, Rio Maior, poucas semanas depois da mãe ter abandonado a casa onde residia com o pai do menino, no Entroncamento.

A mulher, de 33 anos, estava grávida de um novo relacionamento e mudou-se com o novo companheiro para o concelho de Rio Maior, com o bebé e outros dois filhos mais velhos.

O companheiro também era arguido no processo, mas faleceu em Março deste ano.

Carnaval Samora Correia - Fotos João Dinis

×